linkaki

Senador que pediu ‘CPI da Toga diz que ’‘Pressão de alguns ministros foi ostensiva’



Não precisava nem dizer, mas o autor do pedido de criação de uma CPI para investigar denúncias envolvendo membros de tribunais superiores, o senador Alessandro Vieira (PPS-SE), confirmou que houve pressão de ministros do Supremo Tribunal Federal para que seus colegas retirassem suas assinaturas.

Segundo informou o Estadão, a “Lava Toga”, a CPI foi enterrada após três senadores retirarem o apoio.

Estadão - Como o sr. recebeu a retirada das assinaturas?

Alessandro Vieira - Não conversei com os dois (os senadores Tasso Jereissati e Kátia Abreu) sobre os motivos. Vou conversar. Quem tem de se preocupar com isso são os eleitores deles.

Estadão - A que o sr. atribui esse recuo?

Alessandro Vieira - Recebo com uma certa naturalidade, uma vez que havia uma pressão muito grande contra a concretização da CPI.

Estadão - O sr. considera que o Supremo é uma caixa-preta?

Alessandro Vieira - Alguns setores do STF configuram, sem dúvida, o que se denomina caixa-preta.

Estadão - Acha que houve pressão do Judiciário pela retirada das assinaturas, com o argumento de que isso poderia abrir uma guerra entre os Poderes?

Alessandro Vieira - A pressão de alguns ministros aconteceu e ela foi ostensiva. Houve ameaça de retaliação em relação ao plano econômico, de uma crise institucional, afirmou o senador.

*Com Estadão Conteúdo

Alessandro Vieira vai tentar reapresentar pedido de CPI dos Tribunais Superiores
 
A chamada CPI "Lava-Toga", que deveria investigar decisões de tribunais superiores, foi arquivada. O pedido de criação da comissão parlamentar de inquérito perdeu o apoio de dois senadores e ficou sem o número mínimo necessário para ser instalada. No entanto, o senador Alessandro Vieira (PPS-SE), que pediu a investigação, avisou que vai correr novamente atrás de assinaturas para tentar reapresentar a proposta. 

Informe seu Email para receber notícias :