linkaki

Cena trágica do Extra quase se repete contra homem que se queixou por demora no atendimento na Caixa. Mata-leão foi filmado pela filha da vítima



Policiais Militares que foram atender a uma ocorrência em uma agência da Caixa Federal de Salvador quase repetem a cena trágica que resultou na morte de um rapaz no supermercado Extra no Rio de Janeiro na semana passada. A vítima, Crispim Terral, de 34 anos, foi violentamente contido pelos policiais após se queixar pelo fato de um dos gerentes do banco o deixar por quase cinco horas à espera de atendimento.

 Inconformado com a situação, o cliente foi reclamar com gerente pelo péssimo atendimento, mas no lugar de atender o cliente, o gerente preferiu acionar a Polícia Militar e, na abordagem, um policial dá um "mata-leão" em Crispim. A cena, que causa arrepios em quem se lembra do assassinato de um rapaz de 19 anos no interior do Extra do Rio na semana passada,  foi filmada pela própria filha da vítima, uma moça15 anos que acompanhou toda a cena aos prantos.

O cliente do banco disse que registrou queixa de racismo junto à Polícia Civil e à Corregedoria da Polícia Militar.

No relato postado nas redes sociais, Crispim lamenta a forma como foi tratado na agência. "Momento terrível e absurdo. Em pleno século XXI, fui tratado de forma ríspida e claramente fui vítima de preconceito racial", disse.


Além disso, segundo Crispim, os PMs queriam algemar ele, a pedido do gerente do banco, que se recusou ir à delegacia junto com o cliente.

"O problema foi que, ao descer ao térreo da agência, o gerente falou que só iria à delegacia se os policiais me algemassem, e disse: 'Não faço acordo com esse tipo de gente'", contou Crispim.

Com informações do G1

Informe seu Email para receber notícias :