linkaki

Bolsonaro recua e admite que Estados Unidos podem instalar base militar no Brasil



Após defender com veemência o discurso sobre a importância da soberania nacional, o presidente Jair Bolsonaro parece ter recuado de suas promessas de campanha e admitiu nesta quinta-feira, 3, a possibilidade de instalação de uma base militar americana no Brasil.

Durante entrevista para o SBT, Bolsonaro tentou minimizar o impacto do recuo afirmando que a instalação de uma base americana em solo brasileiro seria apenas simbólica: “A questão física pode ser até simbólica”, disse. “E o poderio das Forças Armadas americanas, chinesas e soviéticas alcança o mundo todo independente de base, agora, de acordo com o que puder vir a acontecer no mundo, quem sabe você tenha que discutir essa questão no futuro”, afirmou Bolsonaro.

O receio de que o Brasil perca espaço no disputado comércio exterior com uma eventual política de subserviência aos Estados Unidos de Trump é um dos aspectos mais emblemáticos neste início de governo de Bolsonaro.

“Eu reconheço a minha posição, nós sabemos que o presidente Donald Trump é o homem mais poderoso do mundo, eu gostaria muito que nos visitasse”, afirmou Bolsonaro, sem considerar a possibilidade de Trump não se reeleger nas eleições de 2020.

Em caso de danos nas relações comerciais com a China, qualquer mudança na política americana a partir de 2021 pode deixar o Brasil em uma situação delicada.

Há poucos dias, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, elogiou a iniciativa de Bolsonaro em rechaçar a China em consonância com a atual política americana. O problema é que há pleno emprego nos Estados Unidos hoje, boa parte das contratações alavancadas por negócios de trilhões de dólares com a China. Já o Brasil, com mais de 12 milhões de desempregados, cerca de 20 milhões sub empregados e mais de 50 milhões de pessoas na pobreza, deveria priorizar as relações comerciais com a China, uma vez que o país asiático é o maior parceiro comercial do Brasil.

A interferência americana na política externa do Brasil pode custar muito caro para milhões de brasileiros. A China possuiu um PIB de mais de 12 trilhões de dólares, cerca de 1.4 bilhão de habitantes, sendo que mais de 800 milhões já estão na classe média.

Sob o ponto de vista estratégico, não há nenhuma vantagem em abrigar uma base militar americana em território brasileiro. Apenas a criação de tensões até o momento inexistentes nas relações do Brasil com os demais países do mundo.

Informe seu Email para receber notícias :