linkaki

Dilma coloca culpa no PT por uso de dinheiro roubado da Petrobras em sua campanha


A presidente afastada Dilma Rousseff acaba de incriminar o Partido dos Trabalhadores sobre o uso de dinheiro desviado da Petrobras em suas campanha de 2010.  Durante entrevista para a Rádio Educadora, de Uberlândia (MG), na manhã desta quarta-feira, 27, Dilma se esquivou de responsabilidades sobre a denúncia de caixa 2 na sua campanha e colocou toda a culpa no PT.

O publicitário João Santana e sua mulher e sócia, Mônica Moura, confirmaram ao Juiz Sérgio Moro na semana passada que US$ 4,5 milhões recebidos em uma conta na Suíça tiveram como origem caixa 2 da campanha de Dilma. O depoimento do casal foi confirmado posteriormente, na mesma tarde, também ao juiz Moro, pelo empresário Zwi Skornicki, preso na 23ª fase da Operação Lava Jato.

Zwi Skornicki repassou a Mônica Moura, a mando de João Vaccari Neto, US$ 4,5 milhões para cobrir dívidas de campanha de Dilma de 2010. O dinheiro, segundo e empresário, era propina relativa a contratos superfaturados com a Petrobras.

Ao ser indagada sobre o uso de dinheiro roubado da estatal em sua campanha, Dilma colocou a culpa no PT: 'Não é a mim que se deve perguntar sobre caixa 2; Santana tratou com tesouraria do PT', alegou Dilma em entrevista nesta quarta-feira.

"Se ele recebeu US$ 4,5 milhões, não foi da organização da minha campanha, porque ele diz que recebeu isso em 2013. A campanha começa em 2010 e, até o fim do ano, antes da diplomação, ela é encerrada. Tudo que ficou pendente sobre pagamentos da campanha passa a ser responsabilidade do partido. Minha campanha não tem a menor responsabilidade sobre em que condições pagou-se dívida remanescente da campanha de 2010. Não é a mim que você tem de perguntar isso. Ele (João Santana) tratou essa questão com a tesouraria do PT", afirmou Dilma, apresentando um argumento frágil na tentativa de se isentar de qualquer responsabilidade.

A declaração da petista coloca seu partido numa situação extremamente delicada. O tesoureiro de sua campanha em 2010 era João Vaccari Neto, também tesoureiro do partido. Como tesoureiro de campanha de Dilma e também como tesoureiro do partido, Vaccari reportava-se à campanha e ao partido sobre a captação de recursos para a liquidação de dívidas. Não havia a menor possibilidade de Vaccari promover um arranjo de US$ 4,5 milhões por fora, por conta própria, sem o aval de Dilma ou do partido.

Durante seu depoimento ao juiz Sérgio Moro, a publicitária Mônica Moura afirmou que foi uma luta de dois anos e que fez de tudo para receber a dívida. Inclusive cobrar de Dilma.

Informe seu Email para receber notícias :