linkaki

Qual a surpresa? Quem defende ladrão solto, defende ladrão preso. Com subordinados de Lula não poderia ser diferente



Qualquer simpatizante do ex-presidente Lula está cansado de saber que o petista é um ladrão. Não há qualquer dúvida quanto a isso. Na verdade, os admiradores de Lula possuem um caráter bastante similar ao do ídolo corrupto. A maioria deles tentou desqualificar o juiz Sérgio Moro, torceram e ainda torcem para que algum ministro picareta do STF mande soltar o ladrão e não estão absolutamente preocupados com as Leis ou a Constituição. O anseio geral é o de que tudo deveria ser moldado de acordo com os interesses de Lula.

Visto por este ângulo, os admiradores de Lula são doentes. Em seu íntimo, torcem pela impunidade do petista, esperam que ele seja solto, tripudie sobre os inimigos, concorra à eleição de outubro e vença. É claro que tem algum petista doente lendo isto e vibrando com possibilidades tão remotas. Neste aspecto, o fato de Lula ser um ladrão barato não faz qualquer diferença. Se fosse depender da índole de seus admiradores, o petista voltaria ao poder, implantaria uma ditadura no país, premiaria seus subordinados incompetentes com cargos e privilégios, e o país que se dane.

Não ha qualquer surpresa ao constatar que algumas pessoas ainda ousam defender o ladrão. Em tese, ele é o que teria mais chances de voltar ao poder e devolver aos seus subordinados a vida boa que tinham quando o PT governou o país. Embora nem todos tenham a cara de pau de assumir a preferência doentia pelo bandido e tudo que ele simbolizava, é fácil perceber o descontentamento de setores dos meios de comunicação, da classe artística, dos sindicatos, movimentos sociais, políticos, empresários, membros do MPF, do Judiciário e de parte dos servidores de todo o país com a perda das mamatas dos tempos do PT de Lula e Dilma.

Quem defendia o ladrão quando estava solto, continua defendendo, mesmo que entre os dentes, o ladrão na prisão.




Informe seu Email para receber notícias :