linkaki

STF desferiu maior golpe da história da Lava Jato. Onde estão os procuradores que acusavam o governo de melar a investigação?



Um grupo de procuradores da República, bem próximos do ex-procurador-geral Rodrigo Janot, dedicou boa parte de seu tempo nos últimos dois anos acusando o governo de manobras para tentar melar a Operação Lava Jato. Curiosamente, foi justamente durante este período que a maior investigação sobre corrupção do país conseguiu chegar políticos influentes de outros partidos, incluindo o MDB. Em menos de dois anos, a Lava Jato deflagrou mais de 20 operações, alcançando e prendendo políticos até então intocáveis.

Foi justamente neste período que o ex-procurador-geral Rodrigo Janot passou uma rasteira na Lava Jato e celebrou em tempo recorde um acordo de delação com os criminosos da JBS, livrando Joesley Batista e seu bando da prisão certa. Até então, o grupo já tinha sido alvo de cinco operações na Lava Jato. Os procuradores da República concentrados nas Redes Sociais tentaram tirar o corpo fora da lambança de Janot, mas se aproveitaram das denúncias forjadas para acirrar a atuação política contra o governo. Curiosamente, o mesmo grupo ainda não moveu uma palha para alcançar lideranças do PT delatadas por dezenas de colaboradores da Lava Jato, como a ex-presidente Dilma Rousseff, os senadores Lindebergh Farias, Gleisi Hoffmann, Humberto Costa e outros petistas que passam os dias no acampamento do PT em frente a sede da PF, onde Lula está preso em Curitiba.

Esta semana, três ministros do Supremo Tribunal Federal desferiram o mais duro golpe de toda a Lava Jato contra o juiz Sérgio Moro e retiraram do magistrado trechos importantes das delações da Odebrecht contra o ex-presidente Lula. Além de esvaziar a autoridade de Moro e dar razão à defesa do ex-presidente, que questionava a autoridade do magistrado para julgar os casos do petista, Dias Toffolu, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski abriam uma avenida para a defesa do petista. Lula, a razão da existência da Lava Jato, o chefe da organização criminosa que assaltou a Petrobrás, pode  agora até conseguir se livrar da cadeia e concorrer nas eleições de outubro, com a ida das delações para a Justiça de São Paulo, como determinou o STF.

Na verdade, setores do Judiciário, MPF e até mesmo da Polícia Federal sempre levantaram suspeitas por atuações que apontavam certo saudosismo dos governos do PT. Não é por acaso que parte da Lava Jato acabou sendo utilizada, para muitos, como um instrumento político ideológico. Boa parte seria para livrar a cara de gente do próprio PT. A manobra dos ministros do STF para livrar Lula da cadeia merece repúdio de toda a sociedade. 

Informe seu Email para receber notícias :