linkaki

Paulo Pimenta desafia decisão judicial e diz que vai visitar Lula na marra com outros deputados do PT



O deputado petista Paulo Pimenta afirmou no final da tarde que não pretende respeitar a decisão da juíza Carolina Lebbos, que vetou nesta terça-feria, 23, a visita de subordinados do de Lula na prisão. Segundo a juíza, a lei que prevê que presos só podem receber a visita de familiares e advogados vale para qualquer preso, incluindo o ex-presidente Lula.

Apesar da decisão judicial, o petista divulgou uma nota afirmando que a visita ao ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso, será mantida para esta quarta-feira, 24, .

Paulo Pimenta afirma que “A juíza não poderia invadir prerrogativa da Câmara dos Deputados, definida pela Constituição Federal, e tampouco lhe caberia negar um pedido que não foi feito pela Comissão.”

Desafiando a decisão judicial, Paulo Pimenta afirma que seu grupo pretende visitar Lula na marra nesta quarta:

“Na qualidade de coordenador da Comissão Externa, comuniquei aos outros doze membros e ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que a inspeção está mantida para amanhã, terça-feira (24) , às 11h, com o objetivo de verificar in loco as condições em que se encontra detido o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva".

Paulo Pimenta afirma que ele e os demais subordinados de Lula não pediram autorização para visitar o condenado: "Em nenhum momento a Comissão solicitou à juíza Carolina Lebbos autorização para a inspeção, pois se trata de prerrogativa constitucional da Câmara dos Deputados formar comissões externas para que averiguem condições carcerárias em todo o território nacional, inclusive na sede da Polícia Federal em Curitiba. A Comissão comunicou à juíza a data da realização da inspeção e lhe solicitou providências junto à Polícia Federal para viabilizar o acesso da delegação parlamentar.

A juíza não poderia invadir prerrogativa da Câmara dos Deputados, definida pela Constituição Federal, e tampouco lhe caberia negar um pedido que não foi feito pela Comissão. A atitude da juíza é um grave ataque ao Poder Legislativo e um atentado à independência dos três Poderes e ao Estado democrático de direito.”, finaliza a nota.

O parlamentar há havia se referido à juíza Carolina Lebbos de forma pejorativa, afirmando que um juiz de primeira instância não tem o poder de barrar sua visita. O fato é que, desde a prisão do ex-presidente Lula, seus subordinados protagonizam espetáculos de desobediência e escândalos apenas para chamar a atenção da imprensa e manter seus nomes e o nome de Lula em evidência neste ano eleitoral. 

Informe seu Email para receber notícias :