linkaki

O STF vai matar a Lava Jato para livrar Lula da prisão. O poder dos bandidos não pode prevalecer no Brasil



O julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula marcado para esta quarta-feira no plenário Supremo Tribunal Federal (STF) pode garantir não apenas a impunidade do criminoso condenado, como também significar uma sentença de morte da Operação Lava Jato.

A derrubada do entendimento sobre a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância representa não apenas o mais duro golpe na maior investigação contra corrupção do mundo, como também a liberdade de criminosos de toda sorte.

Apenas no âmbito da Lava Jato, outras dez pessoas na mesma condição de Lula, ou seja, já condenadas em segunda instância, poderão soltar fogos, caso o STF promova o retrocesso, livrando condenados nestas condições da prisão. Na maioria dos países democráticos do mundo, não tem nem a colher de chá da segunda instância. Condenados em primeiro grau são presos imediatamente. Lula foi condenado pelo juiz Sérgio Moro pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em 12 de julho de 2017. Fossem os ministros do STF minimamente preocupados com a questão da impunidade no Brasil, estariam debruçados sobre a possibilidade de prender condenados em primeira instância e não livrar condenados em duas jurisdições. 

A hipocrisia dos ministros em se fiarem em trechos anacrônicos da Constituição de 1988 não convence ninguém. Todos sabem que, assim como o Congresso, há possibilidade de alterações de trechos da Carta Magna, justamente para corrigir distorções como estas.  No mais, Lula não é um bandidinho qualquer. É um ex-chefe do executivo que se tornou réu em nada menos que sete ações penais, apontado como protagonista de centenas de atos de lavagem de dinheiro, organização criminosa, corrupção e tráfico de influência. O cinismo em focar apenas um de seus processos desafia a lógica e o senso de responsabilidade dos ministros. Trata-se de um criminoso contumaz.

O mais revoltante é que expectativa da sociedade, dada a sua falta de confiança no Supremo, é a de que a maioria dos ministros livrem Lula do cumprimento imediato da prisão. Esta decisão significará uma pá de cal sobre a Lava Jato, pois abrirá  caminho para que criminosos presos e em vias de serem condenados em segunda instância pleiteiem o mesmo benefício que for concedido a Lula.

Informe seu Email para receber notícias :