linkaki

O Bolsa empresário de Lula e Dilma. Deram U$ 500 bilhões do povo para Odebrecht, OI e Friboi. Hoje, Brasil passa aperto por trocados



O governo Federal tem enfrentado dificuldades para disponibilizar cerca de R$ 3 bilhões para investir na Segurança Pública do Rio de Janeiro. O dinheiro será usado até o final do ano para colocar em dia os salários dos policiais, renovar a frota sucateada e comprar equipamentos de uso das forças policiais, como coletes, coldres, botinas, etc.

Parece muito dinheiro, tendo em vista o rombo de mais de R$ 170 bilhões deixado pelos governos do PT de Lula e Dilma nas contas da União. Além da questão da Segurança Pública, há ainda o sucateamento das Forças Armadas, escolas, universidades e hospitais da Rede Pública. Se está difícil manter o funcionamento básico dos serviços essenciais à população, o que esperar de obras inacabadas e abandonadas, como escolas, hospitais, pontes e estradas? O governo tem feito um esforço para evitar que o dinheiro do povo vá para o ralo e retomado cerca de 5 mil obras paradas espalhadas pelo país. A previsão de investimentos na finalização destas obras é de cerca de R$ 10 bilhões.

Parece muito dinheiro, mas tendo em vista os cerca de U$ 500 bilhões, o equivalente a mais de R$ 1.6 trilhão de reais que os governos do PT torraram com o famigerado programa Bolsa Empresário, o que o governo precisa agora para socorrer problemas emergenciais do Brasil é troco. U$ 500 bilhões do dinheiro do povo foram pulverizados em obras superfaturadas no exterior e no Brasil, em gastos bilionários na empresa de telefonia OI, hoje quase falida e com uma dívida de mais de R$ 50 bilhões, além da Friboi, dos açougueiros criminosos de Goiás, que graças ao PT, transformaram seu pequeno frigorífico no gigante JBS, mais conhecido como o império da corrupção.

Lula e Dilma não estavam nem ai para o destino do suado dinheiro do povo, desde que os repasses bilionários para empresários corruptos rendessem alguma comissão para o PT se seus aliados. O objetivo era mesmo o de financiar um projeto de poder duradouro, ancorado num gigantesco esquema de corrupção implantado na administração pública por uma gigantesca organização criminosa comandada por Lula.

A vergonha está não apenas com aqueles que um dia defenderam o ambicioso plano de poder do PT. E grau mais elevado, a vergonha está com os que ainda hoje defendem este grupo que causou a maior recessão da história do país.  É mesmo incomensurável que ainda existam pessoas, ditas esclarecidas, que defendam Lula, Dilma e os demais membros do partido que nunca tiveram qualquer compromisso com o Brasil e seu povo.

A ambiciosa política de eleger empresas campeãs nacionais serviu para esvaziar os cofres públicos em favor de empresários e políticos gananciosos e corruptos. Com o auspícios do PT, empresas como a Odebrecht, Oi e a JBS – Friboi foram beneficiados com empréstimos generosos liberados pelo BNDES a juros subsidiados (pagos pelo trabalhador).

Todas as empresas estão envolvidas em escândalos de corrupção, lavagem de dinheiro, operações fraudulentas e o que é mais vergonhoso: repasses milionários para o PT, financiamentos de seus candidatos e benefícios diretos ao ex-presidente Lula, como a reforma no sítio que ele usava e no apartamento que pretendia ocupar, etc. Esta semana, o empresário Marcelo Odebrecht confirmou ao juiz Sérgio Moro uma pequena parte dos crimes cometidos por Lula. O ex-príncipe dos empreiteiros explicou em detalhes como se deu a operação para a aquisição de um terreno no valor de R$ 12 milhões onde seria erguida a nova sede do Instituto Lula. A transação foi abortada e o dinheiro devolvido para a conta do ex-presidente no banco de propina da Odebrecht. Parte deste dinheiro pode ter ido parar nas contas da ex-primeira dama Marisa Letícia, falecida em fevereiro de 2017. Em seu espólio, apareceram contas com depósitos que somavam cerca de R$ 11.7 milhões. Boa parte depositados no mesmo dia, em 2014.

Como se não bastasse tantos desvios para as empresas 'amigas', o PT foi o partido que mais favoreceu os bancos em toda a história do país. O crescimento vertiginoso destas instituições não acompanhou a contratação de trabalhadores. Ao contrário. Há casos de bancos que cresceram mais de 500% durante os governos de Lula e Dilma, mas que reduziram em mais de 30% a contratação de mão de obra no mesmo período.

Entre as empresas escolhidas pelo PT, estão casos escandalosos como o da Sete Brasil, empresa criada por Lula que deixou um rombo de cerca de R$ 20 bilhões nos cofres públicos. A Petrobras acumulou prejuízos da ordem de mais de R$ 100 bilhões e foi obrigada a desistir de projetos onde enterrou outros tantos bilhões.

A Friboi abocanhou mais de R$ 8 bilhões do BNDES durante os governos de Lula e Dilma. O dono do grupo, o empresário Wesley Batista, conseguiu mais dinheiro para outras empresas de seu grupo, como a Eldorado Brasil Celulose, que pegou dinheiro público e faliu, deixando um rombo de quase R$ 3 bilhões.

A Odebrecht foi uma das que mais se beneficiou do dinheiro do BNDES, das que mais distribuiu dinheiro ao PT e das que mais roubou a Petrobras. Além da Odebrecht, participaram do assalto na estatal outras 8 empreiteiras. Todas as transações do PT envolveram empresários multimilionários que nunca fizeram nada em favor do povo.

Os governos do PT favoreceram tanto os empresários corruptos e milionários do país que a ex-presidente Dilma Roussef, teve que pedalar e maquiar as contas públicas para ocultar os bilhões que havia destinado ao Bolsa Empresário.

Ao longo da última década e meia de PT no poder, milhares de cidades pobres continuam nas mesmas condições de décadas atrás. Muitas estão piores, com o aumento da criminalidade devido à alta evasão escolar, com o tráfico de drogas, com o fechamento de hospitais e creches.

Somente durante o governo Dilma, foram fechados milhares de leitos hospitalares. Um levantamento feito pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) aponta uma queda de 23.565 leitos de internação na rede pública nos últimos cinco anos, o que equivale a cerca de 13 leitos a menos por dia.  Em dezembro de 2010, o país tinha 335.482 leitos de internação para uso exclusivo do SUS (Sistema Único de Saúde). Já em dezembro de 2015, esse número diminuiu para 311.917, uma queda de 7,5%. Até maio de 2016, outros 4.567 leitos haviam sido fechados, elevando o número 28.132. O atual governo, com muito custo, conseguiu reativar cerca de 12 mil leitos nos últimos dois anos, o que minimizou um pouco a grave situação da saúde no país.

Estima-se que os governos do PT de Lula e Dilma tenham destinado cerca de U$ 500 bilhões a empresários corruptos, aos bancos e a projetos fadados ao fracasso, todos concebidos com o propósito de viabilizar desvios bilionários em favor do partido e de seus financiadores. Todo este dinheiro pertencia ao Povo deixou de ser devolvido ao Povo na forma de serviços e investimentos em infraestrutura. Nunca se roubou tanto na história do país. Tudo em nome de um plano de poder corrupto, imundo e fracassado.

Foram todos desmascarados. Dilma foi expulsa do poder pelo povo nas ruas e que o PT se tornou sinônimo de banditismo e corrupção e Lula foi parar atrás das grades. Apesar da vergonha, os artistas que roubaram da Lei Rouanet e os cúmplices da roubalheira do partido ainda choram pelos infortúnios do ladrão. Deixaram o Brasil quebrado, com mais de 500 mil empresas falidas e mais de 14 milhões de chefes de família desempregados. O país deve levar ao menos oito anos para voltar à situação econômica observada em 2012. Na média, o PT roubou 15 anos do país e ameaçou covardemente o futuro de toda uma geração. Qualquer cidadão minimamente informado possui conhecimento sobre todos estes fatos. É lamentável que alguns ainda defendam a organização criminosa que deixou o país na merda.

Informe seu Email para receber notícias :