linkaki

Marcelo Odebrecht detona Lula, Roberto Teixeira, Bumlai, Palocci e cita até Marisa Letícia no esquema criminoso para ocultar a compra do terreno do Instituto Lula



O juiz Sergio Moro colheu nesta quarta-feira, 11 mais um depoimento do empresário Marcelo Odebrecht no âmbito da ação penal no qual o ex-presidente Lula é réu no caso envolvendo a compra de um terreno do valor de mais de R$ 12 milhões onde seria erguida a nova sede do Instituto Lula.

Durante o interrogatório, o advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins. demonstrou certo nervosismo pelo fato de seu sogro, o advogado Roberto Teixeira também ser réu na mesma ação penal envolvendo crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Roberto Teixeira, conhecido como o compadre de Lula, também é advogado do ex-presidente e pai da esposa de Cristiano Zanim, Valeska Teixeira Zanin Martins, que também integra a defesa de Lula.

Marcelo Odebrecht citou nominalmente vários envolvidos na operação de maquiagem da compra do terreno para o Instituto Lula, como compadre do petista Roberto Teixeira, o ex-ministro Antonio Palocci, o amigo de Lula, José Carlos Bumlai, seu primo Glaucos Costmarques, Paulo Okamotto, o presidente do Instituto Lula,  e até mesmo a ex-primeira dama Marisa Letícia, falecida em fevereiro de 2017. Segundo Marcelo Odebrecht, o 'pacote' apresentado pelo compadre de Lula, Roberto Teixeira, continha vulnerabilidades. Segundo o empresário, “Tudo vinha do Roberto Teixeira” mas ele não negociava nada sem o aval de Antonio Palocci, um dos interlocutores da transação envolvendo a compra do imóvel.

Durante o depoimento, Marcelo Odebrecht chegou a dizer que Roberto Teixeira afirmava que ele estaria tentando criar dificuldades para fechar logo a transação e teria ido se queixar com Lula e dona Marisa Letícia. Acompanhe um trecho do depoimento do empresário no vídeo abaixo:



Informe seu Email para receber notícias :