linkaki

Mais uma derrota da esquerda Deputados do PT queriam incluir "Lula" em seus nomes no painel da Câmara. Em resposta, DEM quer incluir o nome "Moro"



Após a prisão do ex-presidente Lula, os subordinados do condenado estão fazendo de tudo para manter o nome do petista em evidência. Uma das soluções encontradas pelos representantes da esquerda para manter o nome do condenado em evidência foi tentar incluir o sobrenome de Lula em seus nomes nos painéis da Câmara e do Senado.

O nome parlamentar, tanto no caso de deputados quanto de senadores, é aquele pelo qual o político é identificado, por exemplo, nas votações em plenário e em documentos oficiais de Câmara e Senado. Esta iniciativa poderia se estender, em tese, ao registro das candidaturas dos representantes da esquerda no TSE.

Mas a resposta a mais esta iniciativa tresloucada veio mais rápido do que se imaginava. Segundo o Diário do Poder, "Deputados que apoiam as investigações da Lava Jato começaram a rebater a atitude dos deputados e senadores do PT que pediram para incluir "Lula" em seus nomes parlamentares. Nesta quarta (11), o Diário do Poder revelou em primeira mão que deputados do DEM encaminharam pedidos ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para incluir "Moro" em seus nomes parlamentares", em referência ao juiz federal Sérgio Moro. O negócio ficou tão bagunçado, que um pequeno grupo de parlamentares também pediu para incluir "Bolsonaro" em seus nomes.

A iniciativa de rebater a proposta dos petistas partiu do deputado Sóstenes Cavalvante (DEM-RJ). Ainda segundo o Diário do Poder, o parlamentar  "solicitou alteração da denominação para Sóstenes Moro Cavalcante. O ato é uma resposta ao que os petistas chamam de protesto contra a prisão de Lula. O deputado Capitão Augusto (PR-SP), pegou carona na ideia e também quer agora ser chamado de Capitão Augusto Bolsonaro.

Diante da confusão, a assessoria de imprensa de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, informou que ainda não existe uma resposta para os pedidos. O mesmo vale para o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), que não respondeu sobre se aceitará ou não os pedidos de inclusão do sobrenome “Lula” aos nomes dos parlamentares de esquerda da Casa.

Segundo a Secretaria-Geral da Mesa da Câmara, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), precisa autorizar as alterações. Ainda de acordo com a Secretaria-Geral da Mesa, o regimento interno diz que o nome parlamentar deve ser parte do nome civil, mas há também a praxe de se usar o nome que o político utilizou na urna durante as eleições. O problema vai ser justamente o pequeno número de 'Lulas' em relação ao enorme número de 'Moros', caso Rodrigo Maia e Eunício Oliveira concordem com mais esta manobra da esquerda para acabar de afundar a credibilidade do Congresso Nacional.

Com informações do Diário do Poder

Informe seu Email para receber notícias :