linkaki

Lula não sai da cadeia tão cedo. O petista e aliados querem agora a transferência da sede da PF para um local 'mais acessível'



A situação do ex-presidente Lula na cadeia parece mesmo definitiva para os próximos anos. O petista teve seu último embargo negado nesta quarta-feira, 18 no TRF-4 ao mesmo tempo em que as ações em curso no Supremo Tribunal Federal apontam para a impossibilidade do petista conseguir se safar da prisão tão cedo.

Preso numa sala no quarto andar do prédio da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, Lula reclama do isolamento político a da dificuldade em articular alianças com lideranças que lhe devem alguns favores país afora. O recebeu uma visita, em caráter extraordinário, uma comissão de senadores do PT e aliados que conseguiram uma autorização da Justiça para visitar o condenado. A bancada de esquerda no Senado usou prerrogativas da Comissão de Direitos Humanos da Casa, e sob a justificativa de ir fiscalizar as condições do preso, conseguiram uma autorização especial para visitar Lula. Mas esta situação dificilmente se repetirá nos próximos meses.

“As condições são razoáveis, mas ele está isolado. O recado dele é que está menos preocupado com ele e mais preocupado em restabelecer a democracia no País”, disse a senadora Regina Souza/PT-PI, que preside a comissão. O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) declarou que Lula está em uma “solitária”.

Já o senador João Capiberibe (PSB-AP) afirmou que fará um relatório sobre a vistoria e que mais visitas a Lula precisam ser autorizadas, além de advogados. “Lula tem 72 anos, é um homem interativo, passava os dias conversando, discutindo e trabalhando e hoje está muito isolado”, disse o parlamentar. “Isso é uma grande preocupação da comissão, ele precisa ter diálogo com mais pessoas.”

O ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão, que também visitou Lula, afirmou que o grupo de advogados que defende o ex-presidente está avaliando pedir a transferência do condenado para outro local, caso ele continue preso por mais tempo, admitiu Aragão. O objetivo de Lula e de seus subordinados é garantir que o petista possa continuar comandando o PT e interferindo na política nacional de dentro da prisão.

Lula mal começou a cumprir sua pena de 12 anos e um mês de prisão e já está se dando conta de que seu encarceramento não será relaxado tão cedo. O petista tenta agora se esquivar de uma das condições básicas impostas a qualquer condenado: o isolamento.

Informe seu Email para receber notícias :