linkaki

Aviso ao STF e aos conspiradores da esquerda: recado do Comandante do Exército Brasileiro não é brincadeira



A mensagem do Comandante do Exército Brasileiro, General Villas Boas, às vésperas do julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula no Supremo Tribunal Federal tem sido criticada por setores da imprensa e da esquerda corrupta. Há inclusive algumas tentativas de minimizar a importância de uma manifestação pública num momento tão importante na vida do país.

O que muitos fingem ignorar é que a fala partiu do General se trata na verdade de uma manifestação do mais alto comando do Exército do país, algo que não costuma ser feito sem a concordância das Cúpulas Militares. Villas Boas esteve reunido mais cedo com o presidente da República, o Comandante Supremo das Forças Armadas e com outros generais que manifestaram total apoio à sua manifestação.

O jornalista Ricardo Noblat tentou subestimar a declaração do Comandante do Exército e disse que a fala de Vilas Boas foi  "Cuidadosamente mal redigida para disfarçar o que diz, alvejar o alvo certo, porém oculto, e ameaçar como se apenas advertisse, a nota assinada pelo general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, e postada em sua conta pessoal no twitter, porque é de nota que se trata, foi uma clara, descabida e perigosa interferência na vida institucional do país".

O jornalista da Globo não é estúpido a ponto de achar que suas críticas idiotas tem a mesma relevância da declaração de um Comandante do Exército, avalizada pela Cúpula das Forças Armadas e pelo presidente Michel Temer. Durante a sessão na Comissão de Cnstituição de Justiça no Senado nesta quarta-feira, 04, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), faltou implorar para que o General Villas Boas viesse a público dizer que sua declaração foi mal interpretada.

O ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também tentou desqualificar a fala do General Villas Boas e disse que "Isso definitivamente não é bom. Se for o que parece, outro 1964 será inaceitável. Mas não acredito nisso realmente" afirmou o sujeito responsável pela conspiração com os criminosos da JBS.

Os políticos, artistas e ativistas estão apavorados, pois sabem que a fala de Villas Boas não foi apenas um 'tuíte' irrefletido. Diante do pânico, astão todos tentando tratar o assunto como uma brincadeira, mesmo diante dos sinais claros de que as Forças Armadas não irão permitir que se instale o caos no país apenas para protegerem um criminoso condenado.

O Comando da Aeronáutica, por meio do tenente-brigadeiro Nivaldo Rossato, também divulgou nota em apoio à manifestação do general Villas Bôas e disse que “serão testados valores que nos são muito caros, como a democracia e a integridade de nossas instituições”. Segundo o militar, “O Brasil merece que seus cidadãos se respeitem e sejam respeitados, que os poderes constituídos atuem em consonância com preceitos éticos e morais.”

O General Antonio Miotto também uniu sua voz à declaração do Comandante do Exército, repercutindo afirmação do General Freitas, o General Miotto disse: “Gen Freitas !!! Estamos firmes e leais ao nosso COMANDANTE!! Brasil acima de tudo!!! Aço!!!”.

O General Cristiano Pinto Sampaio uniu-se aos outros generais afirmando: “Como disse o consagrado historiador Gustavo Barroso: ‘Todos nós passamos. O Brasil fica. Todos nós desaparecemos. O Brasil fica. O Brasil é eterno. E o Exército deve ser o guardião vigilante da eternidade do Brasil’. Sempre prontos Cmt!!”.

O General Paulo Chagas foi mais contundente, Paulo Chagas afirmou: “Caro Comandante, Amigo e líder receba a minha respeitosa e emocionada continência. Tenho a espada ao lado, a sela equipada, o cavalo trabalhado e aguardo suas ordens!!”.

O General José Luiz Dias Freitas manifestou-se prontamente: “Mais uma vez o Comandante do Exército expressa as preocupações e anseios dos cidadãos brasileiros que vestem fardas. Estamos juntos, Comandante General Villas Boas!”.

O Aviso foi dado. Caso os golpistas do STF insistam em livrar o ladrão da cadeia e promover o retrocesso da impunidade no Brasil, o tranco vai ser forte. São os canhões que estão falando, como reconheceu o senador petista Tião Viana nesta quarta-feira, durante a sessão na Comissão de Constituição de Justiça no Senado. Tião Viana também citou o jornalista da Globo, que afirmou que
"Michel Temer, com empresários e políticos na diretoria da Fecomércio-SP: "Em 64, o povo se regozijou, porque, novamente, uma centralização absoluta do poder que, mais uma vez, durou de 64 a 88. (...) não houve golpe de Estado. Houve um desejo de centralização'." Segundo Tião Viana deu a entender, Temer estaria antecipando-se aos fatos e preparando o terreno para uma intervenção militar no STF, caso o golpe dos ministros para livrar Lula da prisão prospere.

Tião Viana também faltou implorar para que o General Villas Boas viesse a público explicar que suas declarações foram mal interpretadas. Não foi não. Foi isso mesmo que o General quis dizer. O Exército está com o povo e contra os ladrões.

Informe seu Email para receber notícias :