linkaki

Tiros nos ônibus de Lula - Policiais experientes não descartam a hipótese de armação

No lado esquerdo da foto, um suposto segurança
de Lula flagrado com uma arma na mão


O Diário do Poder publicou uma matéria na manhã desta quarta-feira, 28, informando que "Policiais experientes não descartam a hipótese de armação, no suposto atentado a tiros à caravana do ex-presidente Lula no Paraná", que teria ocorrido no município de Laranjeiras do Sul.

Segundo a publicação, que lembra que esta não é a primeira vez que atentados suspeitos a alvos ligados ao petista são registrados em momentos de crise política, como foi o caso do atentado ao Instituto Lula no ano passado, na ocasião em que Lula foi condenado na Lava Jato no caso do triplex.

Segundo a publicação, o atentado supostamente forjado teria  como objetivo de “vitimizar” o ex-presidente Lula nos dias que antecedem a  votação de um habeas corpus no qual o petista pede para não ser preso, no Supremo Tribunal Federal (STF).

Lula e seus subordinados há haviam tentado utilizar os ataques de manifestantes que atiraram ovos em sua comitiva e no palanque que o petista falava como motivos para vitimização de Lula, que estaria sendo perseguido por milícias e fascistas intolerantes.

Ainda segundo o Diário do Poder, "Três tiros teriam atingido dois dos três ônibus da comitiva, e o único a não ser perfurado por balas foi exatamente aquele que conduz o ex-presidente. Mas ele não estava no veículo porque fez o percurso de helicóptero. Um dos ônibus atingidos foi o que transportava jornalistas, claro, e o outro, com duas perfurações, levava “convidados”.

Os jornalistas estranharam porque não ouviram o disparo e somente perceberam o orifício supostamente produzido por bala quando chegaram ao destino e seguranças da comitiva e petistas chamaram atenção para os sinais do suposto atentado".

Os ônibus seguiam de Quedas do Iguaçu, no oeste do Paraná, para a cidade de Laranjeiras do Sul, quando segundo o PT os tiros foram disparados. A Polícia Militar do Paraná informou por meio de nota que "Lula não solicitou escolta" para o pequeno deslocamento de sua comitiva, apesar do petista e de seus subordinados terem acusado as autoridades por negligenciarem a segurança da comitiva do petista.

Opositores do PT destacam que em todos os episódios envolvendo protestos contra Lua, na visita que ele faz a Estados do Sul, foram vistas armas apenas na cintura e nas mãos de seguranças do ex-presidente. A Polícia Civil promete investigar e chegar aos autores, tendo sido o atentado real ou simulado.

Análises preliminares de especialista que avaliaram as imagens do local onde um dos disparos em um dos ônibus da comitiva levantaram a suspeita de que o tiro teria sido dado por uma pessoa parada com o ônibus também parado. Nas opiniões de peritos que circulam na internet, a perfuração da bala não poderia ter "aquelas" características, caso o ônibus estivesse em movimento.

Com informações do Diário do Poder

Informe seu Email para receber notícias :