linkaki

Os desafios de Bolsonaro para chegar ao 2.º turno.



O diretor do instituto MDA Pesquisa,  Marcelo Soares,  analisou o desempenho do pré-candidato à Presidência, o deputado Jair Bolsonaro, nos últimos meses e fez algumas observações pontuais sobre a possibilidade do político chegar ao segundo turno nas próximas eleições. O especialista participou da última edição do programa Conexão Brasília e levou dados sobre o desempenho de Bolsonaro nas últimas pesquisas.

 "Agora, é o candidato potencial, tem chances interessantes de estar no segundo turno, já cristalizou seu grupo. Mas é um grupo hoje de homens mais jovens. Ele precisa extrapolar isso para outros segmentos da sociedade" avalia o diretor do instituto MDA Pesquisa.

Segundo Marcelo Soares, "o parlamentar é um candidato competitivo, mas ainda precisará provar sua força diante das diversas adversidades que enfrentará. "Imaginamos que Bolsonaro já tenha consolidado um grupo na casa de 13%, 15% ou 16% do eleitorado. Agora, enganam-se aqueles que acham que ele já está no segundo turno"

"Eu até acho que era para ele ter crescido um pouco mais. Já faz 4 meses que ele está na casa dos 17% a 20%. Ele não está conseguindo chegar a 25%, 28%. Talvez tenha que aprimorar um pouco o discurso, para tentar conseguir votos nesses grupos que hoje têm restrição. A mulher, hoje, tem restrição em votar nele e, a princípio, vai ter. Como ele vai fazer? Ele precisa resolver essas questões. Ele está em um partido relativamente pequeno. Isso vai impactar em dificuldades em fazer algumas alianças e em tempo reduzido de propaganda de TV", argumentou.

"Agora, é o candidato potencial, tem chances interessantes de estar no segundo turno, já cristalizou seu grupo. Mas é um grupo hoje de homens mais jovens. Ele precisa extrapolar isso para outros segmentos da sociedade", concluiu.

Neste cenário, uma aliança com o prefeito de São Paulo, João Dória, por mais improvável que pareça, poderia alavancar a candidatura de Bolsonaro. Atualmente no PSL, o pré-candidato já falou sobre esta possibilidade. Demonstrando respeito ao eventual adversário, Bolsonaro lembrou que ainda falta muito tempo para as eleições, mas admitiu que uma aliança com Doria seria uma boa alternativa para aniquilar a esquerda nas urnas em uma 'dobradinha' ou como opção de vice em sua chapa, por ter uma representação menor entre o eleitorado. Veja no vídeo abaixo:




Com informações do Infomoney

Informe seu Email para receber notícias :