linkaki

Lula e Dilma comandaram um arrastão nos cofres públicos que durou 13 anos. Um vai em cana, a outra, a batata está assando



Em termos de valores desviados dos cofres públicos, os ex-presidentes Lula e Dilma, como mandatários da nação, cada um a seu tempo, podem ser considerados os mais negligentes e os mais coniventes com a corrupção em toda a história do país. Apenas na Petrobras, segundo assumiu a própria ex-presidente da estatal, Graça Foster, foram mais de R$ 88 bilhões desviados dos cofres públicos.

Entre os parceiros criminosos de Lula e Dilma, que financiaram suas campanhas, estão os empresários Marcelo Odebrecht e Joesley Batista. Os grupos comandados pelos dois, a empreiteira Odebrecht e o grupo JBS-Friboi respectivamente, se comprometeram a devolver aos cofres públicos quase R$ 18 bilhões em recursos assumidamente desviados do contribuinte com a conivência de Lula, Dilma e dos governos do PT. São os maiores acordos de leniência da história mundial.


Embora a ex-presidente Dilma tenha sido até aqui poupada pelas autoridades, apesar de ter sido apontada como cúmplice da roubalheira pelos próprios criminosos, o ex-presidente Lula não teve a mesma sorte, e caminha agora rumo à prisão. O petista deve iniciar um cumprimento da pena de 12 anos e um mês em regime fechado no caso relativo ao triplex do Guarujá, no qual foi condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, já nos próximos dias.

Já a ex-presidente Dilma ainda tem algumas investigações ainda pendentes. O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira (8) o envio à Justiça Federal do Distrito Federal de denúncia por organização criminosa contra o ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega, e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Nesta denúncia, Dilma figura como integrante da organização criminosa formada pelo PT para desviar dinheiro da Petrobras. Todos os denunciados são suspeitos de “promover, constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa”, cuja pena é de 3 a 8 anos de prisão, além de multa.Antonio Palocci Fazem parte do inquérito os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, a senadora Gleisi Hoffmann, os ex-ministros Guido Mantega, Edinho Silva, Antonio Palocci e Paulo Bernardo, marido de Gleisi. Apenas Edinho Silva, Gleisi Hofmann e seu marido continuam com os casos do STF. O restante segue agora para a primeira instância na Justiça Federal do Distrito Federal.

A ex-presidente Dilma está com todos seus bens bloqueados na Justiça por determinação do Tribunal de Contas da União, o TCU. O Tribunal visa assegurar o reembolso à Petrobras de cerca de R$ 1.9 bilhão em prejuízos causados pela petista na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. 

Informe seu Email para receber notícias :