linkaki

Exército lança panfletos de helicóptero após dominar coração do Comando Vermelho em São Gonçalo



Foram necessários poucos disparos para ocupar o coração do Comando Vermelho. As Forças Armadas realizaram na manhã desta sexta-feira (2) uma operação cirúrgica em uma favela em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Após a bem sucedida intervenção, um helicóptero sobrevoou a região e lançou panfletos com a foto de uma paisagem da cidade com a frase "não basta ser maravilhosa, tem que ser segura" sugerindo que os moradores denunciem atividades suspeitas.

Por terra, os militares também distribuíram para crianças a revista em quadrinhos "Recrutinha", produzida pelo Exército. Na história, um menino pede ajuda ao Exército para prender monstros armados, de outro planeta, e salvar a vizinhança.

A operação começou por volta das 6h desta sexta-feira e envolveu centenas de policiais civis, militares e membros das Forças Armadas. Ao chegarem na favela Jardim Catarina, em São Gonçalo, eles foram recebidos a tiros por criminosos do Comando Vermelho.

Apesar da tensão inicial, poucos disparos efetuados pelos criminosos não foram suficientes para conter o ímpeto dos policiais, que entravam na favela para cumprir mandados de prisão.  Militares em blindados e caminhões cercavam a região e davam cobertura ao deslocamento dos policiais.

"Vai reverter tudo em dez meses [de intervenção]? Acho que não. Mas estamos aqui para fazer um contato com a população, para inspirarmos os jovens em iniciativas positivas na comunidade", disse um militar que participava do patrulhamento.

"É preciso, também, investir na base, que é o social. Em educação, lazer e saúde. Apenas ações de segurança não bastam", disse ele, sob anonimato.

A propaganda do Disque Denúncia era reforçada com mensagens sonoras disparadas de carros militares com alto falantes.

A ação ocorre perto do Complexo do Salgueiro, considerado uma espécie de "quartel general" do Comando Vermelho em São Gonçalo. O principal objetivo das forças de segurança é deter suspeitos de ligação com a facção. Os criminosos estão acuados, enquanto homens das forças militares avançam para o interior da comunidade.

Segundo informou o UOL, que está cobrindo a operação, "Um comerciante local, que preferiu não se identificar, disse que não poderia falar por receio de retaliações de criminosos, mas depois concordou em opinar.

"Acho a operação muito boa. Há muita criminalidade aqui nesta região", afirmou.

Outros dois comerciantes que assistiam às ações de cerco e que também preferiram não se identificar também se posicionaram favoráveis às Forças Armadas. "Ficamos surpresos quando chegamos aqui, mas achamos a ação válida, sim", afirmaram.

"Tem que acabar com essa pouca vergonha do crime. Eu apoio esse tipo de ação, sim", declarou um ciclista, sob anonimato.

Informe seu Email para receber notícias :