linkaki

Brasil dos Bandidos soltos. Crimes confessos de Joesley e seus comparsas lhes renderiam 2 mil anos de prisão



O Brasil é mesmo o paraíso dos corruptos. Segundo o Estadão, os crimes confessados pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do Grupo JBS-Friboi, lhes renderiam condenações que somariam mais de 2 mil anos de prisão. Os criminosos e seus executivos confessaram 8 tipos de crimes; relatos descrevem 240 condutas ilícitas, sendo 124 casos de corrupção e 96 de lavagem.

O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin continua sentado sobre o pedido de 'desomologação' do acordo dos bandidos que, após beneficiados com imunidade total e eterna, voltaram a cometer crimes, violando o acordo homologado pelo próprio Fachin. Ricardo Saud, executivo da JBS, teria sido um dos responsáveis pela campanha de Fachin para conseguir uma cadeira no Supremo.

Segundo o Estadão, "A delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista lhes valeram o perdão de crimes cujas penas somadas individualmente poderiam alcançar de 400 a até 2 mil anos de prisão. Os relatos dos irmãos e dos diretores do Grupo J&F Investimentos feitos à Procuradoria-Geral da República descrevem 240 condutas criminosas reunidas nos depoimentos dos delatores e em 42 anexos entregues pelo órgão ao Supremo Tribunal Federal (STF)".

O Estadão fez um levantamento na época e apontou "que foram relacionados oito tipos de crimes, entre eles 124 casos de corrupção e 96 de lavagem praticados por mais de uma organização criminosa. Especialistas em Direito Penal indicam que, em tese, muitas das condutas delatadas, apesar de autônomas, foram praticadas de forma continuada, como se fossem desdobramentos de um mesmo crime".

Além de corrupção e lavagem, os açougueiros criminoso "relataram financiamentos por meio de caixa 2 de campanhas eleitorais de partidos políticos – o PT e seus integrantes lideram o ranking dos destinatários da propina, concentrando R$ 616 milhões dos cerca de R$ 1,4 bilhão que os Batista confessaram ter pago". Joesley Batista confirmou que manteve contas no exterior para Lula e Dilma e que chegou a movimentar cerca de R$ 300 milhões em favor dos petistas nestas contas. Joesley confirmou ainda que tratou diretamente com Lula sobre os saldos das contas.

Mas como o Brasil é mesmo o país dos corruptos e e bandidos descarados, onde o MPF, STF e até mesmo a Polícia Federal costumam 'deixar' barato os crimes de alguns poderosos, o jogo segue.

Com informações do Estadão.

Informe seu Email para receber notícias :