linkaki

Barroso amarelou. Após mico da acusação contra defesa do presidente, ministro cancela ida a evento para evitar dar de cara com Temer



Após acusar a defesa de Temer de ter tido acesso a dados sigilosos sobre seu pedido de quebra do sigilo das contas do presidente, o ministro do STF Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso se viu em uma saia justa com a resposta ao seu despacho. A defesa de Temer informou que obteve as informações no site do próprio STF, a partir da base de dados pública acessível a qualquer cidadão.

O ímpeto publicitário de Barroso e seu afã por assumir um protagonismo no STF na desestabilização do governo Temer foi criticado por juristas de todo o país e o ministro acabou passando vergonha ao divulgar um despacho acusando a defesa do presidente, sem antes checar 'o básico'.

Na terça-feria (6), o ministro fez divulgar um despacho no qual mandava investigar o "vazamento" da informação de que ele havia determinado a quebra do sigilo bancário do presidente.

No despacho, Barroso escreveu: "Verifico que a petição apresentada pela ilustre defesa do Excelentíssimo Senhor Presidente da República revela conhecimento até mesmo dos números de autuação que teriam recebido procedimentos de investigação absolutamente sigilosos."

Um dos advogados de Temer fez então  uma visita "cordial" a Barroso para explicar 'didaticamente' que a defesa do presidente teve acesso aos números de autuação por meio de uma pesquisa no site do Supremo, na seção do "Diário da Justiça Eletrônico", não por vazamento de informações.

"O diálogo foi bom. A defesa demonstrou ao ministro Barroso a forma pela qual conseguimos acesso aos procedimentos. Tudo por meio do próprio site do Supremo", afirmou o advogado.

Ao ser questionado sobre sua ordem para investigar se houve ou não vazamento de informações sobre uma ação sigilosa determinada por ele contra o presidente Michel Temer, Barroso se esquivou irritado com o próprio mico.

Diante do constrangimento, Barroso desistiu de comparecer ao evento em comemoração aos 25 anos da AGU (Advocacia-Geral da União) na agenda oficial nesta quarta-feira (7), ao qual havia confirmado presença antecipadamente. Constrangido, o ministro preferiu evitar dar de cara com o presidente Michel Temer, que compareceu à solenidade

Procurado pela reportagem do UOL, o gabinete do ministro respondeu que ele "teve um imprevisto de ordem pessoal".

Informe seu Email para receber notícias :