linkaki

Bolsonaro critica decreto de intervenção das Forças Armadas na Segurança Pública do Rio de Janeiro anunciado pelo governo Temer



O deputado Jair Bolsonaro criticou o decreto anunciado pelo presidente Michel Temer que determina uma intervenção federal militar no Estado do Rio de Janeiro. Mesmo antes da divulgação do tero do decreto, o deputado afirmou à imprensa que não concorda com o modelo de intervenção de Temer na segurança do Rio de Janeiro.

“É uma intervenção decidida dentro de um gabinete, sem discussão com as Forças Armadas. Nosso lado não está satisfeito. Estamos aqui para servir à pátria, não para servir esse bando de vagabundos.”

O pré-candidato à Presidência afirmou ainda que “o problema da segurança no Rio não vai ser resolvido por decreto presidencial, assinando um papel”. O PT também é contra a intervenção federal na segurança do Rio. A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) usou a tribuna do Senado pela manhã para criticar a medida. O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) também foi às Redes Sociais criticar o governo Temer e a intervenção militar no Rio.

A medida foi anunciada pelo governo na madrugada desta sexta-feira, 16, como uma resposta à onda de violência que abalou o Rio nos últimos dias. Os últimos detalhes do decreto foram acertados pelo presidente Michel Temer ao longo de várias reuniões nos últimos meses com Generais das oito regiões militares do país. O anúncio do decreto não foi uma surpresa para alta cúpula das Forças Armadas. Setores de inteligência já vinham elaborando estratégias que foram apresentadas ao presidente Michel Temer há uma semana.

O comando da segurança pública no estado do Rio ficará a cargo do General Walter Souza Braga Netto, do Comando Militar do Leste.Além das tropas do Exército, o militar comandará as polícias Civil e Militar, o Corpo de Bombeiros, os presídios e a área de inteligência do estado. Braga poderá decretar a prisão de policias, oficiais e até mesmo de comandantes de batalhões da Polícia Militar do estado. A notícia da intervenção foi muito bem recebida pela população do Rio. Por meio das Redes Sociais, usuários comemoravam a iniciativa do governo, que promete minimizar o impacto da onda de violência no Estado. "Antes andar nas ruas de cabeça erguida se desviando de soldados do que andar com medo de bandidos"

O presidente Michel Temer assinou o decreto as 13: 26 desta sexta-feira, 16.

Informe seu Email para receber notícias :