linkaki

Exército Brasileiro indignado com o custo de viagem de Lula à África. Petista já torrou R$ 3,1 milhões do contribuinte



O Exército publicou em seu site um artigo sobre os gastos previstos com a viagem que o ex-presidente Lula confirmou que fará à África, caso seja condenado no julgamento do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região em Porto Alegre esta semana.

Segundo a publicação no portal oficial do Exército Brasileiro, (AQUI) "O governo federal deve gastar mais de R$ 30 mil com a viagem dos três assessores da Secretaria-Geral da Presidência da República que vão acompanhar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em viagem à Etiópia. Um deles, mais qualificado, embarca na próxima terça-feira, um dia antes do julgamento do petista no caso do tríplex do Guarujá (SP), incumbido de "preparar" a chegada de Lula à África. Os outros seguem na comitiva com destino a Adis Abeba, capital da Etiópia, entre 26 e 29 de janeiro. O ex-presidente participará de evento" SUPOSTAMENTE organizado pela FAO (organização da ONU voltada para a Alimentação e a Agricultura), comandada pelo ex-ministro petista José Graziano.

A conta para bancar a viagem de Rogério dos Santos, Ricardo Messias de Azevedo e Valmir Moraes da Silva até agora é de R$ 17.321,79 (convertidos ontem), mesmo faltando quatro passagens (ida e volta, para os dois últimos assessores citados) e outros gastos previstos da ocasião. A assessoria de imprensa da Secretaria-Geral da Presidência não comentou os custos. Disse apenas que cada ex-presidente tem direito a até oito assessores após deixar o cargo. Por "questão de segurança", no entanto, nem a pasta nem funcionários do PT informaram ao Correio o número de pessoas que a União paga para ficar à disposição de Lula.

De acordo com o professor de Gestão Pública do UniCeub José Simões, "o problema é não haver limite para esse tipo de gasto. O assessor cedido a um ex-presidente tem todos os seus custos de trabalho, como essa viagem à África, por exemplo, custeados com dinheiro público. Essa palestra na ONU é interesse da União ou interesse particular? Nosso país nunca teve finanças tão precárias. Não é o momento", afirmou. Tratado como uma "gentileza obsoleta", o estafe presidencial já foi questionado diversas vezes por tribunais de contas e militantes contrários aos privilégios concedidos a políticos.

Um cálculo feito há 10 anos pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC) estima que o custo das equipes auxiliares de cada ex-presidente da República era de R$ 3 milhões por ano. Eles têm direito a dois motoristas, segurança, salário e outros benefícios inerentes ao exercício do cargo - mesmo fora dele. "Esse é o nó que a gente não encontra para desatar. Imagina quanto esse dinheiro deve estar valendo hoje? Temos que estabelecer limites para essas situações. Dizem que a gente fica muito preso em olhar e controlar as formigas. Enquanto isso, a manada de elefantes continua fazendo farra com o dinheiro público", complementou Simões.

Avenida Paulista

A viagem de Lula ocorrerá dois dias após julgamento de recurso no processo envolvendo o tríplex pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, onde há uma megaestrutura de segurança montada. Estima-se que mais de 225 caravanas com militantes em defesa do petista, cerca de 30 mil pessoas segundo o PT, compareçam à solenidade. Lula, entretanto, vai ficar em São Paulo, onde mobiliza grupos de apoiadores na Avenida Paulista.

Desde que Lula deixou a Presidência da República, em janeiro de 2011, seus assessores são os campeões em gastos com dinheiro público para viajar e se hospedar. O valor corresponde a R$ 3,1 milhões, e equivale a R$ 40.269,10 por mês. Os ex-presidentes da República não têm despesas particulares pagas custeadas pela União.
Fonte: CORREIO BRAZILIENSE - DF

Autor: BERNARDO BITTAR"


Além de Lula ter confirmado à imprensa alemã que fará a viagem "se for condenado" pelo TRF-4, há um outro fator que levanta dúvidas sobre sua providencial viagem: Segundo o site O Antagonista, "O evento de Lula na Etiópia, marcado para o dia 26, não consta da agenda oficial da FAO, agência da ONU dirigida por José Graziano, ex-ministro do petista.

O site confirmou com a assessoria da organização que, até agora, não há qualquer informação sobre o tal debate.

Os petistas alegam que o encontro sobre segurança alimentar seria um “desdobramento” de outro realizado em 2013, entre a FAO, o Instituto Lula e a União Africana".

Informe seu Email para receber notícias :