linkaki

Como ninguém morreu em defesa de Lula, Gleisi Hoffmann declara guerra: "Agora é tolerância zero com o Pixuleco"



Após o fracasso das manifestações em defesa do Lula, não mataram ninguém, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, traçou as próximas estratégias do partido para minimizar os impactos da condenação do líder máximo do partido pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Inconformada com o título nada honroso de criminoso condenado conformado por um colegiado de segunda instância, o TRF-4, a presidente do partido resolveu dar prioridade ao combate ao símbolo internacional relacionado à imagem do ex-presidente Lula e decidiu: "Agora é tolerância zero com o Pixuleco"

A determinação ocorreu durante a reunião fechada da executiva nacional do PT na última semana, após a confirmação da condenação de Lula a uma pena de 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado no caso do tríplex do Guarujá. Durante o julgamento do petista, Gleisi afirmou que "vão ter que matar gente". Como ninguém morreu por Lula, a senadora agora quer um corpo estendido no chão de qualquer jeito. Pode ser até o de um boneco.

A "declaração de guerra" ao boneco Pixuleco foi a principal decisão saída da reunião da executiva nacional do PT. "Participantes da reunião contam que existe entre os petistas um clima de grande frustração com a popularidade do boneco -- usado nas manifestações pelo Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a favor da condenação de Lula", dia matéria publicada no site petista UOL.

Segundo a publicação, "O boneco inflável gigante (também disponível em versões pequenas) representa Lula com roupas de presidiário. O termo "pixuleco" é uma referência a delações premiadas onde é apontado que o termo era utilizado por membros do PT para falar de propina.

"Agora é tolerância zero com o Pixuleco", afirmou, segundo presentes, a senadora Gleisi Hoffmann
(PT-PR), presidente da legenda, no início da parte fechada da reunião. A declaração foi ovacionada
pelos presentes. Procurada pelo UOL, ela não foi localizada para comentar a estratégia".

Ainda segundo o UOL, "a avaliação entre integrantes da executiva nacional é que o boneco ganhou muita popularidade e virou o grande símbolo contra Lula e a legenda. Eles pontuaram que foi um erro não dar importância para a caricatura e ignorá-la, como foi feito até agora.

Apesar disso, os petistas não fecharam questão em torno de como esse combate vai ser feito. Estão
no horizonte ações judiciais e a criação de figuras alternativas. O uso de violência contra o boneco
quando ele for inflado não foi discutido.

O boneco já foi atacado e chegou a ser furado durante manifestações em 2016 e 2017. No último ato
que ele foi usado em São Paulo, na Avenida Paulista na quarta-feira, dia 24, organizadores da
manifestação pela condenação de Lula pediram aos manifestantes um cordão humano para proteger
a figura após algumas provocações de transeuntes"

Informe seu Email para receber notícias :