linkaki

A sociedade brasileira é um produto da Globo, do PT e do DataFolha



Os brasileiros são realmente um povo altamente politizado. Não foi por acaso que Collor, Lula, Dilma, Tiririca e outros políticos extraordinários conseguiram se eleger. O brasileiro é muito bem informado e tem profissionais extremamente qualificados, como os jornalistas e artistas da Globo, os intelectuais do PT e o DataFolha para auxiliá-los no processo de formação de opinião.

Tem ainda as redes sociais, onde os indutores da economia de boutique não abrem mão de seus altos salários e penduricalhos vergonhosos como auxílio-moradia custeados pelo contribuinte. São os servidores abençoados pela era PT, com salários de mais de R$ 30 mil em muitos casos, ajudam a formatar o consciente coletivo das massas posando de baluartes do combate à corrupção com frases de porta de banheiro.

Isso sem contar os sindicalistas, os professores universitários e militantes remunerados disfarçados de cidadão de classe média. Gente bonita em suas varanda gourmet, com seus MacBooks de última geração, dedicam boa parte de seu tempo para conscientizar a população sobre os riscos e ameaças representadas por um governo corrupto, que distribui dinheiro a poderosos para aprovar projetos que beneficiam as "elites", enquanto o povo sofre com os juros altos, inflação galopante e violência nas ruas.

No meio disso tudo, tem ainda os salvadores da pátria, que posam com suas metralhadoras prometendo acabar com os comunistas, as manifestações LGBTs, resolver os problemas de Cuba, da Venezuela e se casar com Donald Trump. Não gente, não é o Titirica, mas teve um desempenho como parlamentar tão medíocre quanto o deputado palhaço que subiu na tribuna uma única vez na vida apenas para garantir sua aposentadoria.

A sociedade não quer saber se o governo está resolvendo problemas que outros governos não tiveram coragem de enfrentar e continua sendo influenciada pelas elites que, pela primeira vez na história do país, estão vendo seus privilégios e altos salários ameaçados. A sociedade não quer saber de comemorar os juros baixos que fere os banqueiros e rentistas de morte. Também não parou para comemorar a menor inflação em vinte anos, que está colocando mais comida na mesa do trabalhador e permitindo que famílias de baixa renda voltem ao mercado de consumo.

A inflação é um dos mais perversos instrumentos de transferência de renda dos mais pobres para os mais ricos, mas não é o único que está sendo combatido com seriedade. Os altos salários de servidores, os privilégios de membros do executivo e do Judiciário e os privilégios que drenam bilhões do dinheiro do contribuinte em benefício de um grupo que representa 10% dos mais ricos do país também estão na mira do governo, que não desistiu de minimizar o desequilíbrio no uso dos recursos públicos e diminuir a desigualdade entre servidores públicos e trabalhadores da inciativa privada. A sociedade ´prefere formar suas opiniões com base no mimimi das elites que estão vendo ameaçados seus privilégios e continua sendo influenciada pelos jornalistas e artistas petistas da Globo, pelo DataFolha e por blogs controlados por especuladores do mercado financeiro. Todos jogam no mesmo time. O DataFolha faz o serviço e os demais meios de comunicação se encarregam de propagar os resultados de forma massiva, para influenciar a população.

Nesta quinta-feira, 1.º de fevereiro, representantes do Judiciário farão uma manifestação em Brasília pelo Fora Temer, em defesa de seus privilégios vergonhosos e contra a reforma da Previdência. Poucos sabem, mas 90 milhões de brasileiros ganham até 1 salário mínimo. Metade do dinheiro que o trabalhador consegue com o suor de seu trabalho, vai para o governo, que tem que usar 93% de tudo que arrecada para pagar a elite de servidores e os barões da previdência com seus salários de mais de R$ 30 mil. É isso mesmo que você leu. 93% de tudo que a União arrecada é gasto com salários e aposentadorias. Apenas 7% do dinheiro do contribuinte retorna para a população na forma de serviços de péssima qualidade. É esta elite de privilegiados, a mesma que reclama dos impostos altos, que está nas redes sociais, na imprensa e nas campanhas sórdidas para a manutenção de seus privilégios. Como baixar impostos se eles comem 93% de tudo que o país arrecada? Mas a informação vendida por esta gente esperta é tão eficaz que chega até a fazer sentido na cabeça das pessoas. Tanto dos habitantes das ilhas de prosperidade quanto os que se acumulam nas comunidades carentes e periferias.

A sociedade brasileira, que tanto se queixa do governo, forma suas opiniões e sua consciência política com informações fornecidas por estas elites. Isto sem contar os salvadores da pátria, defensores de privilégios dos militares e contrários à reforma da Previdência. "Isto vai prejudicar os mais pobres", dizem. Mentira. A reforma da Previdência não afetará ninguém que recebe salário mínimo. Só as elites.

De certo modo, a maioria dos brasileiros possui uma extraordinária consciência política inserida na cabeça das pessoas por outros, que também possuem uma extraordinária capacidade de defender seus privilégios. O Brasil? O Brasil que se dane. Farinha pouca, meu pirão primeiro. E viva o país do Judiciário e dos políticos oportunistas que se aliaram ao criminoso Joesley Batista da JBS para derrubar o governo. O país Globo, do DataFolha e do PT, que pode até morrer, mas não sai de você.

Informe seu Email para receber notícias :