\imprensa Viva
.

Todos os governadores do Rio nos últimos 40 anos comeram nas mãos dos Barata. Veja como o carioca paga a fatura até hoje



Uma das evidências de que o Estado do Rio de Janeiro está nas mãos de bandidos desde os anos 70 está no fato da cidade ser um dos únicos lugares do mundo que tem os ônibus como principal meio transporte coletivo. Nas principais capitais do mundo, o ônibus é usado como coadjuvante de sistemas de transporte de massa, como os metrôs e trens.

A explicação para a falta de investimentos em transporte de massa adequado, sobretudo em regiões como a Baixada Fluminense, é a relação de praticamente todos os governadores do Estado com a família do empresário Jacob Barata, que vem dominando o transporte de massa no Rio de Janeiro desde os anos 70. O único ex-governador do Estado que tentou fazer alguma coisa para combater o cartel da família Barata foi Leonel Brizola, que chegou a encampar 16 empresas e desapropriar 1.817 ônibus para tentar oferecer uma tarifa mais justa e um serviço de melhor qualidade para a população. Mas em 1985, tudo voltou a ser como ante, com a eleição de Moreira Franco.

Desde então, os governadores vem comendo nas mãos da família Barata e de seus aliados que controlam o transporte coletivo no estado. Dezenas de projetos de ampliação do metrô, de superfície ou não, foram arquivados por pressão da máfia do transporte no estado. Apenas iniciativas tímidas e incapazes de minimizar o sofrimento da população com o transporte público prosperaram. Recentemente, os políticos criaram uma solução alternativa para atender novamente aos interesses da máfia do transporte público no estado. O BRT,  Bus Rapid Transit and System é constituído de quatro corredores com BRTs de duas composições. O desafio da implantação da rede foi bem maior que a implantação de trens de superfície mais modernos, pois há estrutura viária para tal. O BRT dependeu de altos investimentos em corredores encravados no meio de vias expressas. Dinheiro do contribuinte que serviu para matar regiões comerciais inteiras apenas para atender os interesses da máfia do transporte do Rio.

O Grupo Guanabara, fundado em 1968 pelo empresário e banqueiro, Jacob Barata, controla a maior parte das linhas de ônibus no Rio há quase 50 anos. Juntas, suas as empresas transportam mais de um milhão de passageiros, em uma frota de cerca de 6.000 ônibus. lém do controle do Grupo Guanabara, Jacob Barata Filho é um dos sócios da M2M Solution --empresa escolhida pelos consórcios de ônibus que atuam no Rio para fornecer equipamentos e realizar o monitoramento das frotas que circulam na cidade. A fiscalização e o planejamento são feitos com auxílio da prefeitura sem ônus para o governo municipal e é considerado um dos exemplos do emaranhado de negócios que faz parte da chamada "caixa-preta dos transportes" no Rio. A M2M ainda está presente na gestão da frota dos ônibus articulados do BRT.

Esta semana, começou a circular a informação de que Jacob Barata Filho deu início a negociação  de sua delação premiada com o MPF. Além do envolvimento de políticos, os procuradores estão interessados nas relações da família com ministros do STF e juízes de tribunais regionais. É pouco provável que o empresário vá revelar todos os podres da família. Caberá aos procuradores negociarem ao menos os crimes que ainda não prescreveram. Afina, são 50 anos comandando uma verdadeira organização criminosa que tem como maior vítima a população do estado do Rio de Janeiro.

Veja como é o transporte coletivo em algumas cidades do mundo:

1- Tóquio, Japão
O sistema de metrô da cidade é utilizado, em média, por oito milhões de passageiros por dia. Além de contar com 195,1 quilômetros de trilhos, o metrô é extremamente limpo, possui assentos aquecidos e informações, em japonês e inglês, que informam o trajeto e quando você já pode esperar a sua parada.
Lógico que nem tudo é perfeito, no horário de rush, os funcionários do metrô enchem os vagões além da capacidade máxima para dar conta da quantidade de gente.


2- Moscou, Rússia
A cidade tem uma das redes mais antigas do mundo e é também o segundo sistema mais usado, levando mais de 7,5 milhões de pessoas diariamente. A sua rede cobre em torno de 327,5 km e é considerado um dos mais eficientes do mundo, com até 40 trens circulando por hora.

3- Taipei, Taiwan
Este é um dos sistemas de metrô mais caros do mundo. No entanto, considerando que é classificado como o número 1 em segurança, confiabilidade e qualidade, parece que dinheiro bem gasto. As estações possuem ar condicionado e telas de LED com informações em diversas línguas.
Mas para manter os altos níveis de limpeza, as regras são bem rígidas: é proibido comer, fumar e mascar chiclete dentro dos vagões.

4- Londres, Inglaterra
Carinhosamente conhecido como “The Tube”, o metrô de Londres é o mais antigo do mundo e um dos maiores: são 402 km de trilhos. Com assentos estofados e painéis de LED que informam o trajeto, ele é relativamente seguro para um sistema deste tamanho, com uma média de uma morte a cada 300 milhões de viajantes.

5- Seul, Coreia
O sistema de metrô administra 8 milhões de passageiros por dia e abrange 327 quilômetros de trilhos que também se integra com o sistema de ônibus. As estações possuem rede de Wi-Fi gratuita e robôs para ajudar os passageiros.

6- Paris, França
O metrô de Paris tem mais de 214 quilômetros e se destaca por ter as estações mais espaçadas no mundo e maior estação subterrânea do mundo, a Chatelet les Halles. O sistema transporta 4,5 milhões por dia, além de se integrar com ônibus, trens e sistema de ciclovias. A cidade também tem reduzido as suas vias de circulação para oferecer uma faixa de ônibus expresso.

7- Nova York, Estados Unidos
O metrô de Nova York é tão icônico como a Estátua da Liberdade. Com mais de 100 anos de idade, ele oferece 373 quilômetros de cobertura em toda a cidade, serviços expresso que roda em faixas separadas de trens locais e funciona 24 horas por dia, todos os dias do ano.

8- Hong Kong, China
Cerca de 90% de toda a viagem em Hong Kong é feito através por transporte de massa, sendo que o metrô é responsável pela maior parte. O sistema leva sete milhões de passageiros por dia através de sua longa rede de 174,7 quilômetros, com trens que são conhecidos por serem pontuais. O seu grande diferencial é que o “bilhete único” serve como um cartão pré-pago cujo é possível ser usado em redes de fast food, parquímetros e lojas de conveniência.

9- Berlim, Alemanha
A rede abrange 151,7 quilômetros da cidade e se integra aos outros meios de transporte coletivo. Os trens rodam de dois a cinco minutos no horário de rush e em intervalos regulares durante o horário não comercial.

10- Copenhagen, Dinamarca
O metro da cidade foi concluído em 2002 e se liga ao sistema de trens que vão para o subúrbio e outras cidades. Além disso, a cidade também conta com um programa de bicicletas. 
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget