linkaki

Lula recorre a tudo que lhe restou em sua defesa. Ofender autoridades, desafiar a Justiça e humilhar o Brasil perante o mundo



Diante da incapacidade de comprovar sua inocência e do desespero por saber que seus crimes podem não apenas impedi-lo de concorrer à Presidência em 2018, como também podem levá-lo para a prisão, o ex-presidente Lula tem recorrido aos últimos recursos que lhe restaram, após ter sido diligentemente desmascarado pelas investigações da Operação Lava Jato.

Além dos recursos jurídicos inócuos e incapazes de livrá-lo das enrascadas criminais em que se meteu, Lula apela para recursos nada dignos, como insultar autoridades, desafiar a Justiça, insuflar simpatizantes e humilhar o Brasil perante o resto do mundo com sua chantagem de vítima.

Não é de hoje que o ex-presidente Lula tem demonstrado total desrespeito com a Justiça e com as instituições do país. Mesmo conhecendo as leis e tendo plena consciência de que se tornou vulnerável à elas, o petista insiste em desafiar as autoridades ao  alardear que será candidato à Presidência da República em 2018 de qualquer jeito.

Lula finge ignorar que já não está mais em suas mãos de Lula o poder de decidir se pode ou não se candidatar. Tudo depende do andamento de seus processos na Justiça, sobretudo do julgamento de seu recurso na segunda instância, que será definido pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região no dia 24 de janeiro. Com base na Lei da Ficha Limpa, o petista só poderia anunciar sua candidatura caso tivesse sido inocentado em todos os processos que pesam contra ele.

Caso respeitasse a Justiça e as instituições do país, Lula aguardaria não apenas o resultado de seu julgamento no TRF-4, mas também o de todos as sete ações penais em que já figura como réu e de outros três inquéritos em que ainda é investigado. O petista vive num país democrático, com instituições fortes e um sistema jurídico bastante claro. Lula tem tido amplo direito de defesa e dispõe de todos os recursos materiais e legais para questionar as ações que terá de enfrentar nos próximos meses. Afirmar que será candidato sob tais circunstâncias é um ato desrespeito ao povo, aos país e à Democracia.

Mas no lugar de se comportar como um cidadão ou como o ex-Estadista que sempre pretendeu ser, Lula se comporta como um mafioso, um chefe de organização criminosa que tenta desacreditar a Justiça e aqueles que o investigam, posando de vítima de perseguições improváveis e injustificáveis. 

Informe seu Email para receber notícias :