\imprensa Viva
.

Lula já está incriminado. Provar se ele é ou não o dono do sítio de Atibaia não é "absolutamente necessário", diz Moro



O ex-presidente Lula vai se sentar em breve no banco dos réus perante o juiz federal Sérgio Moro. Será a terceira vez que o petista será interrogado pelo juiz responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, que marcou, para fevereiro de 2018, o início das audiências do processo relativo ao Sítio Santa Bárbara, em Atibaia, no interior de São Paulo. Lula é acusado de ter recebido o imóvel e outras benfeitorias como propina.

Em despacho publicado nesta terça-feira (7) para intimação das testemunhas de acusação contra o ex-presidente Lula no caso que apura o pagamento de propina ao político através de reformas no sítio de Atibaia, em São Paulo, o juiz Sérgio Moro disse que não é "absolutamente necessário" determinar se Lula era o real proprietário do imóvel para a resolução do caso.

Segundo o juiz de primeira instância da Lava Jato em Curitiba, "a denúncia vincula, como adiantado, as reformas e benfeitorias havidas no Sítio em Atibaia com acertos de corrupção em contratos da Petrobrás com a OAS e a Odebrecht". "Para resolução do caso, não é absolutamente necessário determinar se Luiz Inácio Lula da Silva era o real proprietário do Sítio em Atibaia, bastando
esclarecer se ele era ou não o real beneficiário das reformas", complementou Moro no despacho.

A resposta de Sérgio Moro foi dada ao pedido de suspensão feito pela defesa do ex-presidente para a suspensão da investigação. "Rigorosamente, a pretensão da Defesa de suspensão desta ação penal pelo motivo apontado não encontra qualquer previsão legal, razão pela qual deve ser indeferida",
observou Moro.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Lula recebeu propina proveniente de seis contratos firmados entre a Petrobras e a Odebrecht e a OAS. Os valores foram repassados ao ex-presidente em reformas realizadas no sítio, dizem os procuradores. Como os supostos laranjas que aparecem no papel como donos do sítio não possuem qualquer relação com as espreiteiras, fica claro que o beneficiário do esquema de repasses de propina era o próprio Lula. Como se isso não bastasse, os donos da Odebrecht e OAS confirmaram ao juiz Sérgio Moro que as obras foram de fato repasses de propina ao ex-presidente. Marcelo Odebrecht e Léo Pinheiro apresentaram provas como planilhas, responsáveis pela execução das obras e projetos que foram aprovados por Lula e pela ex-primeira dama Marisa Letícia, falecida em fevereiro.

O processo começa com a oitiva das testemunhas de acusação. Em seguida, são ouvidas as testemunhas de defesa. De acordo com o juiz, os advogados do ex-presidente arrolaram 59 pessoas como testemunha de defesa.

Após os depoimentos das testemunhas, os réus serão ouvidos.

Entenda a denúncia

A acusação trata do pagamento de propina de pelo menos R$ 128 milhões pela Odebrecht e de outros R$ 27 milhões por parte da OAS. Conforme a denúncia, Lula foi beneficiado com parte desse dinheiro, por meio de obras realizadas no sítio Santa Bárbara, em Atibaia.

As obras, conforme a denúncia, serviram para adequar o imóvel às necessidades de Lula. Segundo o MPF, a Odebrecht e a OAS bancaram os gastos com as reformas na propriedade como forma de repassar propina ao petista de forma dissimulada.

O MPF diz que Lula ajudou as empreiteiras ao manter nos cargos os ex-executivos da Petrobras Renato Duque, Paulo Roberto Costa, Jorge Zelada, Nestor Cerveró e Pedro Barusco, que comandaram boa parte dos esquemas fraudulentos entre empreiteiras e a estatal, descobertos pela Lava Jato. Todos já foram condenados em ações penais anteriores.

Conforme a denúncia, as duas empreiteiras foram beneficiadas em pelo menos sete contratos. Também faz parte da denúncia o contrato de aluguel do navio-sonda Vitória 10.000, realizado pela empreiteira Schahin, junto à Petrobras.

Nesse contrato, o processo apura um suposto pagamento de R$ 150 mil a Lula, com a ajuda do pecuarista José Carlos Bumlai, que teria intermediado os repasses ao ex-presidente.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget