\imprensa Viva
.

Gilmar Mendes atua no STF como braço da organização criminosa de Cabral. Regalia em presídio justifica transferência



A decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de impedir a transferência do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, para um presídio federal deveria ser revista com urgência. Cabral já vinha sendo alvo de denúncias sobre regalias na prisão, mas o último episodio envolvendo a instalação de uma sala de cinema na cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio extrapolou todos os limites toleráveis.

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal que determinou a transferência de Cabral para um presídio federal,após ter se sentido ameaçado pelo ex-governador, afirmou que a decisão tomada pelo ministro Gilmar Mendes de suspender a transferência de Cabral fortaleça convicção da organização criminosa de que Cabral ainda tem influência fora da prisão.

"Em desabafo aos funcionários e amigos próximos, disse que a mensagem que será passada aos integrantes da organização criminosa do-ex-governador é a de que Sérgio Cabral ainda tem algum poder e influência" informou O GLOBO.

"O juiz da Calicute recebeu a notícia da existência de um home theater no presídio de Benfica como mais uma razão para a medida de transferência de Cabral para um presídio federal. "Pelo que sei, não faltam situações de abuso em Benfica", comentou com os amigos, lamentando que os Ministérios Públicos federal e estadual não tragam tais fatos ao seu conhecimento, contou uma fonte ligada ao juiz.

O juiz teme, segundo esta fonte, que a permanência de Sérgio Cabral no Rio não seja apenas um fato isolado e que ações contra a Calicute e outras operações do gênero possam crescer nas próximas semanas. Para ele, o político, diferentemente do empresário, precisa de um projeto de poder para continuar em cena".

Cabral é muito influente junto aos ex-presidentes Lula e Dilma, além de outros ministros do STF, como Luis Carlos Barroso, que conseguiu chegar ao Supremo em 2013 após uma forte campanha de Cabral junto a então presidente Dilma Rousseff.  O ex-governador contou com o ajuda do próprio ministro da Justiça de Dilma, José Eduardo Cardozo, do secretário executivo da Casa Civil, Beto Vasconcelos, e do ex-deputado federal e também advogado Sigmaringa Seixas, amigo próximo de Lula. Cabral afirmava que 'poderia' precisar de alguém no STF. Na época, as relações de Dilma com Cabral eram ótimas, e a presidente chegou a confidenciar que não podia negar um pedido do ex-governador do Rio.

A suspeições sobre a conduta de Gilmar Mendes em relação ao crime organizado no Rio de Janeiros são justificáveis. Nos últimos meses, o ministro do STF atendeu a interesses de vários criminosos presos na Lava Jato e ainda mandou soltar vários integrantes da máfia que controla o transporte coletivo na cidade.

_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget