\imprensa Viva
.

Paula Lavigne admite que gosta é de dinheiro. Na escola, cobrava dos meninos para levantar a saia da irmãzinha



A polêmica em torno da empresária Paula Lavigne, produtora e ex-mulher de Caetano Veloso sobre ter sido oferecida ao cantor quando tinha apenas 13 anos de idade provocou uma série de debates nas redes sociais. Caetano Veloso tinha 40 anos na época em que se sentiu atraído pela menina faceira e espevitada. Obviamente, os valores eram outros, sobretudo entre a classe artística permissiva.

Mas segundo a própria empresária, ela nunca foi flor que se cheire, se comparada às meninas de sua idade. Numa entrevista à PLAYBOY, Paula Lavigne assumiu seu gosto pelo dinheiro que "Quando criança, sempre que aparecia uma visita em casa tentava vender as peças de artesanato que produzia. Na mesma época, costumava cobrar uma taxa dos meninos da escola interessados em espiar por baixo da saia de sua irmã. “Eram 10 centavos a bunda e 20 a frente”

A empresária que se tornou uma das maiores especialistas em captar dinheiro através da famigerada Lei Rouanet reconhece sua  falta de escrúpulos quando o assunto é grana.

Empresária, produtora e ex-mulher de Caetano Veloso, Paula Lavigne se notabilizou pela atuação nos bastidores do showbiz. Nas quase duas décadas que ficou casada, geriu com mão de ferro a carreira e contratos do músico baiano e transformou o patrimônio de ambos em um pequeno império. É sócia da Uns Produções e Filmes (substituta da antiga Natasha Records) e, além de representar até hoje o ex-marido.

Paula Lavigne é conhecida por um estilo muito peculiar de fazer negócios. Gosta de ter tudo sob controle e de impor suas opiniões, nem sempre de um jeito afável. “Nasci para mandar”, afirmou certa vez, referindo-se ao talento herdado do avô materno, um general. Com 16 anos de idade, já havia sido emancipada pelos pais, o bem-sucedido advogado criminalista Arthur Lavigne e a psicanalista Irene Mafra. Ainda jovem, revelou-se uma fera na negociação de contratos, e, no fim dos anos 80, já era dona da empresa Uns, criada para cuidar dos negócios do marido e de projetos especiais. Depois se tornou sócia da Natasha Records, que entre outras atividades produziu CDs de trilhas sonoras cinematográficas e filmes, agenciou carreiras de artistas como Lulu Santos e Adriana Calcanhotto, cuidou da administração do acervo de Vinicius de Moraes e representou, por algum tempo, as músicas de Chico Buarque no exterior. Com um currículo que inclui mais de dez filmes, Paula tornou-se uma das mais eficientes captadoras de recursos no país. “Virei uma prostituta cultural para fazer filme. Eu ofereço sociedade às empresas, mostro as possibilidades de retorno. É troca de interesses”, resumiu ela em uma entrevista em 2005, com toda a sutileza que a caracteriza.

A empresária não abre mão de usufruir dos frutos de sua riqueza, com armários repletos de roupas de grife, mais de 100 pares de sapatos e compartimentos refrigerados para seus cremes de beleza. Entre seus bens estão um apartamento na Avenida Vieira Souto, um apartamento no East Village, em Nova York, e uma fazenda na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais, que chama carinhosamente de Mainha?s Farm. “Acho que mereço ser rica. O que a pessoa deve fazer com o dinheiro eu faço”, afirmou à revista TPM.

 Paula gosta de ganhar dinheiro, mas não gosta de perder. Contrariada, a mulher de Caetano Veloso, como é mais conhecida do grande público, perdeu na Justiça, em junho, o direito de usar o nome Natasha em sua empresa. A ex-sócia Conceição Lopes ganhou a ação e agora quer receber 2,7 milhões de reais pelo uso indevido da marca por Paula.

Endinheirada, Paula vive cercada de celebridades que estão sempre presentes nas festas que promove em seus imóveis no Rio, São Paulo, Nova York ou em sua fazenda dos sonhos. Entre sua roda de amigos mais íntimos, estão o cantor Seu Jorge, o rapper Emicida, o casal Angélica e Luciano Huck, a atriz Carolina Dieckmann e a atriz Paula Burlamaqui.

Paula é uma defensora ferrenha da liberdade de expressão. Desde que isso represente mais alguns caraminguás em seu bolso. A mulher de Caetano arregaçou as mangas para impedir a publicação de biografias não autorizadas de seu ex-marido e de outras estrelas, como Roberto Carlos. A campanha que visava censurar a publicação de biografias 'não autorizadas' acabou sendo parcialmente resolvida com a cessão de direitos financeiros sobre as tais obras.

Paula Lavigne é uma ferrenha defensora da volta de Dilma ou da esquerda ao poder e uma crítica feroz do governo Temer.

Com informações da Revista Veja
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget