\imprensa Viva
.

Mais um especialista em explorar tragédias humanas fala em ser presidente



O Superchance foi um dos quadros de maior sucesso do programa Caldeirão do Huck, atração das tardes de sábado da Rede Globo sob o comando do apresentados Luciano Huck. Para selecionar os candidatos, a página do programa anunciava que buscava pessoas "com garra e força de vontade para vencer um desafio de precisão e ganhar um prêmio em dinheiro de até R$ 30 mil!".

A emissora só não informava que para participar do programa, o candidato teria que permitir que a produção do espetáculo fizesse pequenos resumos de sua vida pessoal, com direito a gravar cenas em sua casa, entrevistar sua esposa, filhos, mãe, pais e etc. Obviamente, a produção do programa selecionava pessoas em dificuldades financeiras e produzia uma mini novela descrevendo a situação de miséria dos candidatos. Muitos choravam durante os depoimentos, relatando casos de dívidas, doenças e até mesmo necessidade básicas, como alimentos.

Na prática, a Globo exigia um relato da condição de miséria do candidato, expondo sua vida de forma humilhante perante toda uma nação em troca da chance remota de levar para casa míseros R$ 30 mil. Enquanto isso,  as anunciantes pagavam até R$ 600 mil por 15 segundos de propaganda e outros milhões em merchandising para Luciano Huck vender seus produtos durante o programa.

Na maioria dos casos, o participante era instado a apostar tudo que havia ganho até determinado ponto do programa em uma última jogada suicida. Caso acertasse o gol, levaria para casa os R$ 30 mil. Caso errasse, perderia os R$ 20 mil já garantidos, levando apenas um prêmio de consolação de mil reais. O clima de suspense era explorado ao limite, enquanto Luciano Huck lembrava o participante que aquele dinheiro poderia ajudá-lo a sair da situação delicada em que se encontrava, até que a atração principal do programa, o pobre que tinha toda sua miséria explorada de modo sensacionalista, caia na tentação. Mas antes da jogada final, mais comerciais, mais merchandising, mais milhões no caixa da Globo e nos bolsos de Luciano Huck.

O curioso nestes tristes espetáculos de 'compaixão' é que os telespectadores são induzidos a acreditar que Luciano Huck é um cara gente boa que ajuda os mais necessitados. Por sinal, a falsa compaixão é um dos principais instrumentos utilizados pelo ex-presidente Lula e pelos representantes da política nacional em seus discursos hipócritas.

Recorrer à compaixão para parecer bonzinho é uma fórmula infalível. A compaixão é um sentimento que não exige que o indivíduo ocupe no lugar de um miserável ou que se sujeite às mesmas privações. Basta apenas que o indivíduo demonstre ter consciência de que as pessoas enfrentam dificuldades. Assim como Lula, Luciano Huck tem bastante compaixão pelas pessoas necessitadas, mas tem verdadeira obsessão por dinheiro e poder. Assim como Lula, Luciano Huck usa as pessoas necessitadas para exibir toda sua compaixão, mas em seus momentos de lazer, prefere se reunir com gente como Eike Batista, Sérgio Cabral e Joesley Batista. Luciano Huck ama ostentação e se exibe orgulhoso em sua ilha, no helicóptero que comprou para seu filho quando ele tinha dois anos, etc.

É este mesmo Luciano Huck que agora anuncia suas pretensões de ingressar na política. O apresentador da Rede Globo, a mesma que tolerou os 13 anos de corrupção do PT e apostou todas suas fichas para derrubar o presidente Michel Temer, disse nesta quarta-feira 18 que “quer e vai participar” do processo de renovação política do Brasil e deixou no ar a possibilidade de se candidatar a algum cargo nas eleições do ano que vem.

A declaração está em um artigo do apresentador publicado na edição desta quarta-feira do jornal Folha de S. Paulo.

“Como já me comprometi publicamente antes, quero e vou participar deste processo de renovação política no Brasil”, diz o texto. “Reafirmo que continuo achando que, de onde estou, fora do dia a dia da política, minha contribuição pode ser mais efetiva e relevante”.

No texto, Huck afirma que o Brasil foi arrastado para uma “crise econômica e caos social sem precedentes” e disse que os brasileiros precisam aproveitar melhor esse “assustador vácuo de liderança”. “Sinto que ela pode ser uma das maiores oportunidades para abrir um novo ciclo na história da República, ressignificar nossas instituições e, principalmente, reorientar os valores e princípios daqueles que querem servir”, escreveu o apresentador.

 “Para fazer do Brasil um país mais justo, entendo que o melhor caminho será “ocupar”, por meio do voto, o Legislativo brasileiro com cérebros, sinapses, ideias e ideais de primeira qualidade”, escreveu o apresentador.

“Assim, quero e vou apoiar movimentos cívicos de curadoria e fomento. Movimentos que incentivem a participação política do cidadão comum, que contribuam para a elaboração de propostas que deem um novo rumo ao país”, afirmou o apresentador, que se associou a empresários bilionários para financiar a eleição de pelo menos 100 deputados federais nas próximas eleições. Em outras palavras, Luciano Huck se associou as elites brasileiras para comprar a Democracia e garantir sua ascensão ao poder.

Luciano Huck se sente bem no papel de aposta da Globo e das elites para catalizar os votos dos ignorantes órfãos de Lula nas eleições de 2018. De fato, o sujeito é digno mesmo deste papel.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget