\imprensa Viva
.

Não fosse Temer, delação criminosa da JBS de Janot, Globo e Joesley teria prosperado. Mas mexeram com o cara errado



O presidente Michel Temer foi a maior vítima e também o maior responsável pelo fiasco da delação criminosa da JBS. A Iniciativa que envolveu interesses de Joesley Batista, Rede Globo e Rodrigo Janot era a aposta do grupo para derrubar o governo e a gravação fajuta feita por Joesley, o maior trunfo, quem diria.

Na mentalidade dos conspiradores, Temer era fraco, tinha menos de 10% de aprovação popular, não tinha a maldade dos lobos do PT e cairia com qualquer espirro. Janot e a Globo usaram até mesmo o nome da Operação Lava Jato para dar maior criminalidade à treta, de forma que a cilada parecia irresistível.

A toque de caixa, de forma totalmente atabalhoada, os gênios conspiradores resolveram colocar o bloco na rua através de um vazamento criminoso, possivelmente feito pelo próprio Janot à Rede Globo.

O problema é que os conspiradores erraram em quatro aspectos cruciais da estratégia para derrubar o governo.

1 - Carregaram demais na maldade. Além da Globo mentir descaradamente na transcrição da gravação feita por Joesley no dia do vazamento que levou o caos ao mercado financeiro, ainda tentaram taxar Temer como chefe de organização criminosa.

2 -O mocinho escolhido para fazer o papel de vítima de Temer era visto como um criminoso contumaz aliado de Lula e Dilma pela maior parte da população. Foi estupidez usar Joesley Batisa, um homem sem qualquer credibilidade, para atacar o governo.

3 - Janot e a Globo contavam com o clamor popular para promover a empreitada. A Globo disponibilizou toda sua máquina de propaganda para demolir Temer em 24 horas. Colocou todos seus empregados para pedir a renúncia de Temer e convocar a população para as ruas. Pelo menos na cabeça de gente sem escrúpulos, parecia um plano perfeito, mas não era. Temer não renunciou e o povo não foi para as ruas pedir sua saída.

4 - Mexeram com o cara errado. Em mais de 40 anos de vida pública, Temer não tinha nenhum processo na Justiça, nunca tinha sido alvo de denúncias de corrupção. Como se não bastasse seu histórico raro entre políticos, Temer sempre foi reconhecido como "O Senhor do Congresso". Subestimar alguém que já foi presidente da Câmara dos Deputados três vezes, que conseguiu expulsar o PT e toda sua corja do poder, apos 13 anos de reinado, que conseguiu aprovar projetos virtualmente impossíveis como o o limite do teto dos gastos públicos foi uma tremenda burrice.

Temer não apenas peitou a Globo, Janot e Joesley, como forneceu os principais indícios criminosos ocultos na conspiração contra ele. Foi Temer que denunciou a participação de Marcelo Miller, o braço direito de Janot, no acordo com os criminosos da JBS. Temer ainda denunciou o fato dos delatores terem colhido benefícios excessivos, mesmo tendo sonegado provas, como gravações descobertas pela Polícia Federal. Não fosse esta denúncia, a JBS não teria quebrado as pernas para entregar todas as gravações até o fim do prazo limite para entregar as provas na PGR. No desespero, acabaram entregando coisas que não deveriam.

Não fosse a força e a obstinação de Temer em desafiar aquilo que lhe pareceu injusto e despropositado, o acordo criminoso da JBS teria prosperado e o Brasil seria vítima do maior embuste da história da República. A grande burrice da Globo, Janot e Joesley foi justamente esta: mexeram com o cara errado.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget