\imprensa Viva
.

Frustrados com fracasso da campanha "Afunda Brasil", setores da imprensa tentam minimizar otimismo do mercado



Contrariando os pessimistas de plantão, a economia brasileira cresceu pelo segundo mês seguido e numa velocidade acima da esperada. Nas contas do Banco Central, a atividade expandiu-se 0,41% em julho. O índice criado pela autarquia, o IBC-Br, superou as expectativas dos analistas do mercado financeiro, que estavam em cerca de 0,2% para o mês. Os dados animadores apontam para a perspectiva de que o Brasil pode surpreender e apresentar crescimento este ano, deixando para trás a aposta de queda no PIB. No lugar de uma queda entre 3% e 4% como era previsto, o país sairá do vermelho em tempo recorde a apresentará crescimento de quase 2% ainda este ano. Poderia ser melhor ainda, não fosse o caos criado no mercado com o vazamento do acordo criminoso da JBS. O Brasil vinha muito bem, impactou e agora voltou a crescer.

A receita de vendas do varejo brasileiro cresceu em termos reais 1,5 por cento em agosto ante o mesmo mês de 2016, no primeiro resultado positivo em dois anos, mostrou nesta sexta-feira o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Todas as regiões do país tiveram alta em agosto na comparação com o mesmo período de 2016. É a primeira alta registrada no aturamento do varejo brasileiro em 2 anos. O desempenho do Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) no primeiro semestre deste ano também foi o melhor desde o primeiro semestre de 2014.

Apesar de números positivos em praticamente todos os setores da economia, dos recordes históricos da Bolsa de Valores e da criação de quase um milhão de empregos com carteira assinada, setores da imprensa insistem e propagar a campanha "Afunda Brasil". Ficou claro que o objetivo destes meios de comunicação sempre foi o de manipular a opinião pública. Entre pretextos inconfessáveis, há obviamente a intenção nada nobre de tentar desestabilizar o governo para provocar o caos no mercado.

Nota-se agora a decepção de setores da imprensa com os recordes em operações registrados na Bolsa de Valores, apesar de tanto esforço dos meios de comunicação para desestabilizar o país, agora requentando notícias já totalmente desacreditadas. Por fim, as manchetes contra o governo agora só empolgam os petistas. O mercado está pacificado e não mais se deixa influenciar por Janot e cia, após amargar prejuízos de mais de R$ 200 bilhões apenas no dia 17 de maio.

Diante da frustração com o bom desempenho do mercado, sobretudo após o fiasco da segunda denúncia de Janot, a imprensa tenta se conformar, defendendo a tese de que “Há um descolamento da economia em relação à política”, quando qualquer criança sabe que não é bem assim que as coisas funcionam. O mercado precisa de estabilidade e previsibilidade. E é exatamente esta a expectativa em relação ao governo Temer. Ele já demonstrou ser capaz de superar sobressaltos e até mesmo vencer conspirações de grupos poderosíssimos. Este tipo de firmeza por parte do executivo tranquiliza os investidores. Ninguém acreditava que o país sairia da pior e mais longa recessão de sua história tão rapidamente, dizem analistas brasileiros e estrangeiros. 
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget