\imprensa Viva
.

Dilma revolta petistas ao manifestar preferência por Geraldo Alckmin. Mas há mais coisas por trás de sua declaração



A ex-presidente Dilma Rousseff irritou militantes do PT e ativistas de esquerda de modo geral esta semana quando manifestou sua preferência pelo governador de São Paulo Geraldo Alckmin em um eventual cenário da disputa à Presidência em 2018. Durante entrevista à Folha, a petista afirmou que prefere o tucano a Jair Bolsonaro ou João Doria, a quem classificou como um candidato "inconsistente".

Em meio a velha choradeira sobre o impeachment, Dilma revelou desprezo pela democracia ao tentar menosprezar o direito dos outros candidatos a postular o cargo eletivo. Pior ainda. Ao elencar preferência sobre rivais, Dilma verbaliza a pretensão peculiar do PT em tentar ditar o que é melhor para o povo ou para o país, mesmo após terem sido responsáveis pela maior crise política e econômica que o país já enfrentou em toda sua história.

De fato, a opinião de alguém que foi defenestrada do cargo após ter criado um rombo bilionário nas contas públicas e ter deixado 14 milhões de desempregados é considerada totalmente irrelevante pela maioria dos brasileiros, que têm plena consciência da responsabilidade de Dilma e do PT sobre as dificuldades que o país atravessa há mais de um ano.

Apontada como corrupta por tradicionais aliados, como Marcelo Odebrecht, Eike Batista, Monica Moura, João Santana e Joesley Batista, Dilma foi ainda responsável pela renúncia fiscal de mais de R$ 700 bilhões do dinheiro do contribuinte em favor de empresários bilionários que não ofereceram nenhuma contrapartida em troca de tantos benefícios.

Considerada incompetente até mesmo pelo próprio Lula, que já a culpou dezenas de vezes pela recessão que o país mergulhou, a petista demonstra qualquer pudor ao apontar sua preferência por candidatos virtualmente mais "derrotáveis".

É fato que Geraldo Alckmin possui experiência administrativa superior aos demais citados e que, como governador de São Paulo, soube separar seu papel institucional de suas posições políticas quando precisou lidar com então presidente. Mas a declaração de Dilma sobre sua preferência pelo tucano tem objetivos mais sórdidos do que parece. Apesar de ter irritado os petistas, Dilma tenta promover o ódio contra adversários potencialmente capazes de vencer as próximas eleições. Justamente aquele com os quais não possui qualquer 'abertura'.

Mesmo assim, os petistas não gostaram das declarações da ex-presidente. "Ela não pode dizer que prefere esse ou aquele do PSDB ou de partidos que participaram do golpe", diz um dirigente indignado. "Ela teria que citar a Marina Silva, o Ciro Gomes e outros nomes que sempre a defenderam, que sempre foram amigos do PT e podem abrir as portas para nossa volta ao poder", reclamou o petista indignado.

_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget