\imprensa Viva
.

Casamento de Joesley deve acabar após divulgação de gravações. Açougueiro pede a diretor para cantar mulher para ele



 O empresário Joesley Batista deve enfrentar uma série de problemas com a divulgação do teor da gravação que foi parar acidentalmente nas mãos da Justiça. A gravidade dos diálogos mantidos entre Joesley e Ricardo Saud, um dos principais executivos da JBS, pode levar não apenas à anulação dos benefícios concedidos no controverso acordo de delação premiada do Grupo, como também colocar fim ao casamento entre Joesley Batista e a jornalista Ticiana Villas Boas.

Em um dos trechos da gravação, Joesley menciona uma mulher, a que chama de gostosa e pede para que Ricardo Saud procure a mulher em seu nome. Joesley afirma "Ele é meu número" e pergunta para Ricardo: "Você faz o serviço?"

"Você vai chegar nela e fala assim: posso te contar um segredo? Sabe quem é louco com você? Hã? Você não sabe! Ela é uma delícia! É meu número" Cê tem as manha?" Desafia Joesley. "Não, ó, esse serviço ai cê vai fazer. Cê tem as manha de fazer?

Ricardo Saud concorda e Joesley o encoraja: "Mas vai firme. Tem que ir firme mermo. Fala assim, ó, né brincadeira não. O assunto é sério. Fala que eu que pedi".

Joesley então pergunta a Ricardo Saud: Você já comeu? Se for assim não tem importância. É só nois revesá...uma semana vai um...Cê faz o serviço?

Pelo visto, Ricardo Saud se encarregava de fazer todo tipo de "serviço" sujo para Joesley. Inclusive assediar gostosas de capas de revistas. Ainda que concorde em conviver com isso, jornalista Ticiana Villas Boas pelo menos já sabe com que tipo de gente está lidando.




Ao liberar o acesso à gravação e tornar pública a conversa entre os delatores Joesley Batista e Ricardo Saud, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou que o conteúdo é de interesse público.

O ministro destacou a “expressa prevalência ao interesse público, quando em choque com a intimidade, nesse contexto”. “Quanto ao sigilo, anoto que se trata de conversa gravada e disponibilizada pelos próprios interlocutores, razão pela qual nenhuma dúvida remanesce a respeito da licitude da captação do diálogo e de sua juntada aos autos como elemento de prova”,

No que diz respeito à possibilidade de publicização do respectivo conteúdo, uma vez que, do conteúdo dos diálogos, se observam elucubrações a respeito da vida privada e íntima de terceiros, anoto que o regime da publicidade dos atos processuais é a regra geral eleita pela Constituição da República”, afirmou o ministro.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget