\imprensa Viva
.

Raquel Dodge impõe derrota a Janot antes mesmo de assumir PGR e faz prevalecer aumento de repasses para a Lava Jato



Há poucos dias, a futura procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou um ofício ao atual titular do cargo, Rodrigo Janot, para pedir esclarecimentos sobre o orçamento do Ministério Público Federal (MPF) para o ano que vem.

17/07 - Raquel Dodge expôs Janot a um grande constrangimento ao questioná-lo publicamente: "A força-tarefa da Lava Jato, sediada em Curitiba (PR), solicitou R$ 1,65 milhão. Foi apresentada a proposta de somente R$ 522,6 mil. Qual a razão dessa redução para a FT [força-tarefa] da Lava Jato? Qual o valor programado para 2017?", questionou a subprocuradora.

18/07 - De Washington, para onde foi fazer seu último espetáculo internacional, o vaidoso Janot se embaraçou com o confronto direto da colega e disse que não haverá redução no orçamento da Operação Lava Jato no próximo ano. "O orçamento da Lava Jato não foi reduzido", afirmou Janot, que ainda tentou dar uma espetada na sucessora: "O orçamento para a Lava Jato está garantidíssimo. É prioridade da Procuradoria na minha gestão. Se vai ser na dela, eu não sei."

25/07 - Raquel levou o assunto a reunião do Conselho Superior do Ministério Público Federal, à qual Janot estava presente, e propôs um reajuste no orçamento do Ministério Público Federal para 2018, agora sim com R$ 1,6 milhão para a força-tarefa da Lava Jato de Curitiba. O conselho aprovou por unanimidade o reajuste do valor " garantidíssimo" de R$ 522 mil. previsto por Janot anteriormente.

Visivelmente constrangido após ter sido desmascarado, Janot deu as boas vindas a futura PGR. Tardiamente, segundo o protocolo entre pessoas civilizadas. 
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget