\imprensa Viva
.

Geddel Vieira Lima é preso por suposta atuação criminosa na Caixa entre 2011 e 2013, durante governo Dilma do PT



O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi preso nesta segunda (3) pela Polícia Federal, em decorrência da sequência de crimes vergonhosos que ocorreram durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff.

Geddel foi alvo de um pedido de prisão preventiva no âmbito da investigação da Polícia Federal deflagrada em janeiro. A operação Cui Bono? ("A quem beneficia?", em latim), investigava a gestão de Geddel na vice-presidência de pessoa jurídica na Caixa Econômica Federal, entre 2011 e 2013.

A PF suspeita de esquema de fraudes na liberação de créditos no período do governo Dilma para beneficiar o Grupo JBS, do empresário e criminoso confesso Joesley Batista.

A investigação começou a partir de elementos colhidos em um antigo celular do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que anunciou a poucos dias que fará sua delação premiada na qual deve esclarecer encontros que manteve com o ex-presidente Lula e Joesley Batista.

Em 15 de dezembro de 2015, a PF realizou buscas na casa de Cunha e apreendeu o telefone no qual estavam armazenadas mensagens trocadas com Geddel.

Geddel é investigado por crimes
cometidos durante governo Dilma
O esquema criminoso investigado pela Polícia Federal compreende ao período do governo Dilma e tem foco os esquemas de corrupção dos irmãos Batista da JBS, de concessionárias de administração de rodovias, de empreendimentos imobiliários, além de Lúcio Bolonha Funaro, operador do mercado financeiro. Os investigadores suspeitam que o grupo tenha praticado crimes de corrupção, quadrilha e lavagem de dinheiro.

A investigação corria no STF (Supremo Tribunal Federal), mas quando Geddel perdeu o cargo de ministro o caso passou a tramitar na primeira instância.

O mandado de prisão foi assinado pelo juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal. A ordem foi cumprida na tarde desta segunda, segundo a Procuradoria no DF. Geddel só foi preso pelo simples fato de não se encontrar blindado pelo governo Temer. Estava vulnerável a isto.

Temer desligou de seu governo após ele ter sido acusado de pressionar o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero (Cultura) para viabilizar um empreendimento na Bahia.

Uma eventual delação de Geddel deve esclarecer como o PT de Lula e Dilma atuava na liberação de recursos do Funo da Caixa não apenas para a JBS, mas também para a Odebrecht e Eike Batista. Andre Luiz de Souza, ex-sindicalista da CUT e integrante do comitê de investimento do fundo, era, segundo oito delatores, o responsável pela liberação de recursos do FI-FGTS.


_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget