\imprensa Viva
.

Moro nega pedido de Lula, que queria equipe com câmera HD para filmar seu depoimento para postar trechos no Facebook



O ex-presidente Lula passou a semana inteira decorando frases de efeito que seriam ditas durante seu interrogatório com o juiz Sérgio Moro em Curitiba. O petista pretende editar trechos pré planejados de seu depoimento para postar vídeos no Facebook e distribuir para os sites de aluguel a serviço do PT.

A defesa do ex-presidente solicitou que Lula tivesse direito de levar um cinegrafista profissional munido de uma câmera de alta resolução. No pedido, “A defesa esclarece que pretende realizar a gravação em imagem por meio da câmera 'Sony EX3', montada sobre um tripé, com acesso a com acesso a uma fonte de energia e monitorada por um profissional devidamente habilitado para a função”.

Estava tudo pronto para o script que Lula pretendia seguir em seu interrogatório. O ex-presidente fez até mesmo algumas sessões de botox, aparou barba e bigode. Auxiliares do petista chegaram a afirmar que ele ficou parecido com o George Clooney. Na cabeça de petistas, as coisas mirabolantes que eles planejam sempre dão certo. Mas no mundo real da Lava Jato, as coisas não são bem assim. Nesta segunda-feira (8) o juiz Sérgio Moro negou o pedido de Lula, que queria fazer uma superprodução do seu interrogatório marcado para esta quarta-feira (10).

A defesa de Lula alegou que a forma com que as imagens são gravados os depoimentos na Lava Jato expõe uma imagem negativa do réu.

Moro não caiu na conversa de Lula e determinou que “Será mantida a forma de gravação atual dos depoimentos, focada a câmara no depoente, pois é o depoimento a prova a ser analisada, e fica vedada a gravação em áudio e vídeo autônoma pretendida pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva”, disse o juiz.

No despacho, o juiz federal afirmou que “não há qualquer intenção de prejudicar o acusado ou sugerir a sua culpa com esse foco, tanto assim que o depoimento das testemunhas, que não sofrem qualquer acusação, é registrado da mesma forma. ”

Sérgio Moro ainda relatou que este procedimento – de gravar os depoimentos com o foco no depoente – é adotado por toda a Justiça Federal da 4ª Região.

“Não assiste razão à Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva em afirmar que a forma de gravação dos depoimentos em audiência resulte em prejuízo aos acusados”, disse o juiz na decisão.
Para o juiz federal, Lula e os advogados “pretendem transformar um ato normal do processo, o interrogatório, oportunidade que o acusado tem para se defender, em um evento político-partidário, tendo, por exemplo, convocado militantes partidários para manifestações de apoio ao ex-presidente na referida data e nessa cidade [Curitiba], como se algo além do interrogatório fosse acontecer”, pontuou Sérgio Moro.

"Há um risco de que o acusado e sua defesa pretendam igualmente gravar a audiência, áudio e vídeo, não com a finalidade privada ou com propósitos compatíveis com os admitidos pelo processo, por exemplo permitir o fidedigno do ocorrido para finalidades processuais, mas sim com propósitos políticos-partidários, absolutamente estranhos à finalidade do processo”, acrescentou o juiz.
Pedido de filmagem.

Além de querer uma câmera que custa mais de R$ 20 mil exclusiva para filmar o show do ex-presidente Lula, a defesa do petista também queria uma câmera, destas baratinhas, para filmar o juiz Sérgio Moro. Eles bem que tentaram, mas como em outras oportunidades, desta vez também não colou.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget