\imprensa Viva
.

Joesley quer tirar Temer para colocar Meirelles, sócio da JBS na Presidência da República. Cármen Lúcia está fora



Um grupo ligado à Rede Globo vem defendendo abertamente a indicação do nome do ministro da Fazenda, Henrique Meirellles, para concorrer à Presidência em uma eleição indireta na Câmara dos Deputados, caso Temer renuncie ou seja removido do cargo pela ação do TSE que estuda a cassação da chapa que o elegeu vice  de Dilma Rousseff.

O doce na boca da criança para endossar o nome de Meirelles é a inconsistente promessa de colocar a presidente do Supremo Tribunal Federal, a ministra Cármen Lúcia no páreo. Isso é uma grande mentira. De acordo com a Justiça Eleitoral, candidatos devem deixar seus cargos públicos seis meses antes de uma eleição.

Cármen Lúcia também dificilmente aceitaria a missão. Ainda mais agora que seu colega Edson Fachin aceitou um pedido de abertura de inquérito contra Temer atendendo a um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR). Para complicar ainda mais a situação, Temer pediu o cancelamento do inquérito e Fachin decidiu levar o pedido ao plenário do STF. Isto significa que todos os ministros da Corte terão que votar se aceitam ou não o pedido de suspensão feito pelo presidente. Como Cármen Lúcia é a presidente do STF, ela ficaria em uma saia justa, caso concordasse em concorrer à vaga de Temer em uma eleição indireta.

O Congresso trabalha mesmo o nome de Henrique Meirelles, ex-presidente do Conselho da JBS indicado por Lula e amigo de Joesley Batista, que deve enfrentar uma série de processos nas esferas criminal e civil  por ter comprando dólares e vendendo ações antes do vazamento de uma transcrição falsa de sua conversa gravada com Temer, divulgada pela Rede Globo, que pediu a renúncia do presidente com base nesta transcrição inverídica.

O PT atua em duas frentes da crise instalada no Palácio do Planalto. Nos bastidores, Lula e dirigentes do partido estão bastante entusiasmados com a possibilidade de Meirelles se tornar presidente no lugar de Temer. O ministro da Fazenda é amigo pessoal de Lula, foi o presidente do Banco Central do Brasil  durante seus dois mandatos entre 2003 e 2011. Meirelles saiu do governo Lula diretamente para a Presidência do conselho da JBS e tornou-se amigo íntimo de Joesley Batista.

Foi justamente Henrique Meirelles, após muita insistência, quem convenceu Temer a receber Joesley Batista, que levou um gravador escondido para tentar arrancar algum diálogo comprometedor do presidente.

A trama para derrubar Temer, engendrada por Joesley Batista e que teve apoio da Rede Globo, é bem mais sofisticada do que muitos imaginam. O vazamento de uma transcrição falsa não atendeu apenas ao propósito de derrubar Temer e ganhar bilhões com o caos do mercado financeiro. O plano de Joesley envolve ainda colocar um sócio na Presidência da República.

A trama quase deu certo. A Globo e Joesley Batista acreditavam que com a baixa popularidade de Temer, bastaria vazar uma notícia manipulada para levar o povo para as ruas. A Globo passou as últimas 84 horas pedindo a renúncia de Temer e convocando a população para as ruas, mas apenas alguns mortadelas com camisas de Che Guevara se entusiasmaram com a empreitada. A base de apoio ao governo, que ensaiou uma debandada, voltou atrás após perceber que a população ficou em casa. Se Temer vai cair ou não, ainda é uma incógnita. Caso isso ocorra, o plano de Joesley Batista, de Lula e da Globo ainda pode prosperar.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget