\imprensa Viva
.

Após sufoco no interrogatório, Lula deveria aprender a respeitar servidores públicos concursados e os meninos do MPF



O ex-presidente Lula praticou várias ofensas ao juiz Sérgio Moro e aos integrantes da força-tarefa da Lava Jato baseada em Curitiba ao longo dos últimos anos. O petista desqualificou servidores concursados, insinuando que não tinham nenhum valor ou mérito diante de um político, afirmou que servidores tinham estabilidade no emprego, enquanto político "tem que ir pra rua encarar o povo e pedir voto", insinuando que político ladrão é melhor que juízes e procuradores, entre outros absurdos.

"Eu de vez em quando falo que as pessoas achincalham muito a política, mas a posição mais honesta é a do político, sabe por quê? Por que todo ano, por mais ladrão que ele seja, ele tem que ir pra rua encarar o povo e pedir voto. O concursado não. Se forma na universidade, faz um concurso e tá com um emprego garantido para o resto da vida", queixou-se o petista após ter sido denunciado pelo Ministério Público Federal.

Lula também chamou o juiz Sérgio Moro de FDP durante uma conversa telefônica com o deputado petista Wadih Damous, chamou o procurador da República de "moleque" sentado na "bíblia", alegando que ele não entendia nada de política, etc. O petista afirmou que os militantes do partido não devem dar credibilidade à Justiça e aconselhou para que todos se mantivessem fiéis aos bandidos do PT: "Quando alguém disser que um amigo nosso é corrupto, na falta de prova, a gente tem que ficar do lado do amigo da gente". Ao lado do  presidente do PT Rui Falcão, defendeu os ex-ministros Antônio Palocci, José Dirceu e o ex-tesoureiro do partido, João Vaccari, alegando que todos são inocentes e que foram presos sem provas.

Apesar de tanto barulho e tantas ofensas aos membros do MPF e ao juiz Sérgio Moro proferidas em palanques, em entrevistas e reuniões do PT, o Lula corajoso simplesmente encolheu diante das autoridades que tanto ofendeu e desqualificou. O Lula inocente também desapareceu diante do juiz Sérgio Moro e dos procuradores da República, ao admitir que se teve encontros clandestinos com o operador de propina do PT na Petrobras, o ex-diretor da estatal, Renato Duque e o ex-tesoureiro do partido, João Vaccari Neto. Lula foi tratado com respeito e lembrado pelo juiz Sérgio Moro que, caso seja condenado na Lava Jato, será em consequência de provas e da Lei. Lula ouviu tudo de cabeça baixa. Após este interrogatório, Lula deveria aprender a respeitar as autoridades e compreender de uma vez por todas que todos os cidadãos são iguais perante a lei.


_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget