\imprensa Viva
.

Com a Lava Jato, Lula, Dilma e o PT estão aprendendo que não existe crime perfeito



A casa meio que caiu para vários políticos e partidos com as revelações contidas na delação da empreiteira Odebrecht. Ainda não se sabe o tamanho do estrago que afetará cada um dos políticos citados no depoimento dos 77 executivos do Grupo. Mas quanto aos ex-presidentes Lula e Dilma, não restam dúvidas de que o abalo será significativo.

O ex-presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht foi preso na 14ª fase da Operação Lava-Jato, a "Erga Omnes", e está preso em Curitiba desde 19 de junho de 2015. Lá se foram dois aniversários, dois natais e dezenas de datas comemorativas que o empresário ficou privado de compartilhar com seus familiares e amigos.

Criminoso contumaz, Marcelo Odebrecht praticou a maior parte de seus crimes contando com a cumplicidade de Lula e Dilma. Apenas com a ex-presidente petista, o executivo se reuniu mais de 100 vezes e tratou de negócios bilionários envolvendo obras superfaturadas, empréstimos camaradas no BNDES e, como não podia faltar, propina para Lula, Dilma e o PT.

Há um consenso no mundo do crime no qual bandidos experientes afirmam que não há como praticar um crime perfeito quando há mais de uma pessoa envolvida. Já os policias e investigadores experientes afirmam que não existe crime perfeito e que por mais que o criminoso se esforce em não deixar pontas soltas, sempre deixa um rastro.

Marcelo Odebrecht é a "ponta solta" deixada por Lula e Dilma. Embora a petista tenha se empenhado em libertar o criminoso, sua tentativa de nomear um Ministro do STJ não deu resultados e ele continuou preso. Segundo petistas, o executivo era um parceiro "confiável" que tinha muitos negócios espúrios com os governos do PT. Estavam todos seguros de que Marcelo Odebrecht não "abriria o bico", pois isso elevaria em muito suas penas na Lava Jato. Dilma e Lula não contavam com a decisão do STF, que manteve o entendimento de que a prisão de suspeitos pode ser decretada antes do fim do processo.

Ao descobrir que jamais obteria um habeas corpus para responder seus processos em liberdade e protelar indefinidamente uma condenação, a "ponta solta" resolveu abrir o bico e se assumir um criminoso contumaz e confirmou que isso só foi possível graças aos dois ex-presidentes petistas, que também eram bandidos confiantes na impunidade. Dilma, Lula e dezenas de membros do PT constataram da pior maneira possível que não existe crime perfeito. 
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget