linkaki

A casa caiu para Renan Calheiros. Relatório do Coaf flagrou saques em dinheiro em datas e valores relativos a propina



A situação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) erante a justiça acaba de se complicar. O nome do senador aparece em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que aponta que Renan fez dois saques em dinheiro vivo que totalizaram R$ 300 mil. Os valores e as datas batem com denúncias de recebimento de propina que pesam contra o senador em ações que correm contra ele no no Supremo Tribunal Federal, para onde o documento foi enviado.

O senador foi formalmente acusado de cometer os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em dezembro, pelo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que ofereceu ao STF denúncia contra Renan no âmbito da Lava Jato..

O senador foi denunciado pela Lava Jato, por ter recebido R$ 800 mil em propina por meio de doações da empreiteira Serveng. Em troca dos valores, Renan teria oferecido apoio político ao então diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa, que mantinha a empreiteira em licitações da estatal.
Segundo o relatório do Coaf enviado ao STF, Renan efetuou o saque de R$ 100 mil em dinheiro vivo de sua conta no Banco do Brasil. A operação foi feita em Brasília. Em 30 de dezembro de 2014, Renan recebeu R$ 200 mil, às 10h46, da empresa Agropecuária Alagoas LTDA e efetuou saque de mesmo valor às 15h05. O saque foi feito em Maceió, terra natal do senador.

Caso seja condenado em qualquer uma das ações que pesam contra ele no STF, Renan pode ter o seu mandato cassado e perder imediatamente a prerrogativa de foro privilegiado. Assim como Cunha, deve durar pouco nas ruas, fora do manto protetor da impunidade. Todos viram como Moro foi rápido no gatilho.

Informe seu Email para receber notícias :