\imprensa Viva
.

Dilma mais encrencada. Malas de propina na ponte aérea SP-Brasília abasteciam comitê da petista



O site O Antagonista (aqui) acaba de antecipar parte do conteúdo do depoimento de um dos funcionários do laranja que atuou na campanha da ex-presidente Dilma Rousseff.

Jonathan Bastos Gomes era motorista de Carlos Cortegoso, dono da Focal, uma das gráficas usadas pelo PT para lavar dinheiro na campanha de 2014. O funcionário confirmou ao ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Herman Benjamin, do TSE que atuava como mula levando dinheiro de caixa 2 para o comitê de campanha de Dilma em Brasília.

Em seu depoimento ao ministro do TSE, Jonathan confirmou que durante os três meses do primeiro semestre de 2014, ele viajava uma vez por semana de São Paulo a Brasília, com uma mochila de dinheiro entregue pelo dono da Focal, Carlos Cortegoso.

O esquema funcionava na base do bate-e-volta. "Ao desembarcar na rodoviária de Brasília, havia invariavelmente um carro o esperando. Ele deixava a mochila no carro (cujo motorista nem sempre era o mesmo) e, em seguida, era levado até o aeroporto, de onde voltava para São Paulo".

Carlos Roberto Cortegoso ficou conhecido como "O garçom do Lula". O proprietário da Focal, gráfica de fachada que recebeu R$ 24 milhões da campanha de Dilma, também não conseguiu comprovar os serviços prestados durante perícia do TSE.

A Lava Jato já comprovou que a maior parte do dinheiro que abasteceu as campanhas de Dilma em 2010 e 2014 teve origem nos desvios milionários na Petrobras. O dinheiro que era repassado para as gráficas de fachada tinha a mesma origem.

_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget