\imprensa Viva
.

João Doria anuncia demissão em massa de petistas e cortes de mordomias da era PT. Economia de R$ 8 bilhões


O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira que promoverá cortes de petistas ocupantes de cargos comissionados lotados na prefeitura e nas mais de 30 Subprefeituras do município.

Doria também anunciou medidas que visam a redução dos valores de contratos, de gastos de custeio e até da frota de automóveis municipais a partir de janeiro. Segundo estimativas elaboradas por sua equi, os cortes representam uma redução de R$ 8 bilhões nos gastos públicos, ou 14% do orçamento total da cidade, que é de R$ 54,5 bilhões. Um dos objetivos da medida é garantir os recursos necessários para manter a tarifa de ônibus a R$ 3,80 até dezembro de 2017.  Seu antecessor, o prefeito Fernando Haddad do PT, planejava elevar impostos para para manter a tarifa de ônibus inalteradas no próximo ano.

As medida foram anunciadas pelo próprio Doria  um seminário com os novos secretários, presidentes de empresas e autarquias municipais e presidentes dos novos conselhos gestores das secretarias no edifício World Trade Center, zona sul da cidade.

Além das demissões e cortes de mordomias da administração petistas, Doria prevê a eliminação da frota de automóveis incluiria 1,3 mil veículos usados para transporte de funcionários – seriam poupados carros de serviços, como os dos marronzinhos da CET. “Como vão andar os secretários, os presidentes de empresa? De táxi e de Uber, como todas as pessoas podem fazer.” No caso dele, Doria disse que usará seu próprio automóvel para os deslocamentos oficiais.


O primeiro corte é uma redução linear de 15% no valor dos contratos da Prefeitura com os fornecedores privados. “15% não vai ferir mortalmente nenhum prestador de serviços da Prefeitura”, disse, declarando ainda que “redução de valor de contrato não significa redução de serviço de contrato”. “Isso quero deixar claro para a população e também para os que prestam serviços para a Prefeitura. Se não quiserem, rompemos os contratos. Se quiserem continuar, estou garantindo a ele que continuará a receber.”

Funcionários. Na sequência, o prefeito eleito afirmou ter determinado um corte “mínimo” de 30% no total de cargos comissionados de cada secretaria, empresa ou autarquia municipal.
Segundo dados da Lei de Acesso à Informação (LAI), a administração municipal tem, ao todo, 4.904 cargos de livre provimento em toda a estrutura pública – os cargos preenchidos por indicação de pessoas que não são concursadas públicas.

Segundo a publicação do Estadão, Doria reconheceu que esse esforço fiscal tem como um dos objetivos a manutenção da tarifa de ônibus a R$ 3,80. Mas afirmou ainda que era sua “obrigação” ser “eficiente em tudo”. “O primeiro (objetivo) é melhorar a gestão pública. Temos de ser eficientes independentemente de demandas.”

Segundo o prefeito que toma posse em janeiro, “Todo recurso que puder ser economizado ajuda a suprir a diferença tarifária, já que nós mantivemos a decisão de que a tarifa de ônibus seja preservada em R$ 3,80 de janeiro até dezembro de 2017”, disse João Doria.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget