\imprensa Viva
.

Após dar cobertura a Dias Toffoli, presidente do TSE Gilmar Mendes se cala sobre esquema de Luciana Lóssio e Garotinho


O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, TSE, ministro Gilmar Mendes, tem demonstrado que quando o assunto é corporativismo, ele não deixa por menos. Após dar cobertura para seu colega de Corte, o ministro Dias Toffoli, citado em delação na Lava Jato, Gilmar Mendes sumiu e não se manifestou sobre a controversa decisão de outra colega, a ministra do TSE, Luciana Lóssio.

A ex-advogada de Dilma e do PT foi citada em uma gravação entre o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho e seus advogados que tratavam de estratégias de defesa sobre crimes eleitorais do político. Segundo Garotinho, a ministra Luciana Lóssio já sabia dos "detalhes" de seu caso e estaria providenciando um habeas corpus preventivo.

Poucos dias depois, Garotinho foi preso pela Polícia Federal na Operação Chequinho por ter usado programas sociais para garantir votos para seu grupo político na eleições municipais de Campos do Goytacazes, no Rio. No dia seguinte, a ministra Luciana Lóssio manou soltá-lo e converteu sua prisão para o regime domiciliar.

Gilmar Mendes, como presidente do TSE já deveria ter se manifestado sobre o assunto, mas até agora, nada. Ele quer colocar  a liminar de Luciana Lóssio que salvou Garotinho de Bangu em votação no plenário, na próxima quinta-feira. Apesar das flagrantes irregularidades de sua decisão, a ministra Luciana Lóssio conta com a cumplicidade dos colegas. Viva o corporativismo dos ministros que estão pouco se lixando para a impunidade e os interesses da sociedade.

A maioria dos ministros é a favor de manter a decisão de Lóssio.

_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget