\imprensa Viva
.

Quer proteger Lula? Esqueça acordo de delação. Assim é a Lava Jato. Entenda melhor a dinâmica da investigação


Muitos setores da esquerda, incluindo ai jornalistas, artistas e especialistas em dar piruada comentam que os procuradores da força-tarefa da Lava Jato pressionam seus investigados para que digam tudo que sabem para conseguir obter um acordo de delação premiada. Isso é mentira. Quem procura advogados especialistas em delação premiada para propor acordos junto ao Ministério Público são os investigados.

Ao receber a proposta de acordo dos investigados, os procuradores cruzam as informações fornecidas por eles com as informações prestadas por outros delatores e outros dados relativos ao investigado. Caso encontrem incongruências, o acordo é refutado. Simples assim.

Isto significa que, se os procuradores sabem de algo que o delator esteja tentando ocultar em sua delação, sua proposta de acordo é formalmente recusada. Este foi o caso do empreiteiro Léo Pinheiro, que tentou proteger o ex-presidente Lula. Este é o caso de Marcelo Odebrecht, que também tentou proteger Lula e metade do PT. Este também é o caso do ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar, um dos executivos da empreiteira mais próximos do ex-presidente Lula.

Os procuradores da Lava Jato e da Procuradoria-Geral da República sabem das relações de Alexandrino Alencar com Lula. Todo mundo sabe das relações do ex-diretor com o ex-presidente. Alexandrino acompanhou Lula em várias viagens para prospectar "negócios" para a Odebrecht.

Ao tentar propor um acordo para obter benefícios de redução de pena, o espertinho tentou dar uma de João Sem Braço e teve seu acordo de delação negado pelos procuradores da Lava Jato e da Procuradoria-Geral da República. Esta é a natureza dos acordos de delação. Algo precisa ser oferecido em troca para facilitar o trabalho da Justiça. Os procuradores refutaram o acordo por consider que as informações dadas pelo ex-executivo estão incompletas e que há indícios de que Alencar estaria protegendo personagens que são alvos de seus depoimentos, como o ex-presidente.

Na Lava Jato, espertinhos não se criam. Marcelo Odebrecht está mofando na carceragem da PF há 14 meses. Os procuradores sabem perfeitamente o que cada um dos investigados têm para entregar. Aguardam apenas a boa vontade e o bom senso de cada um em escolher o que é melhor para si.

Os delatores e os procuradores sabem que há muita coisa em jogo (dinheiro), além da liberdade dos investigados.

Apesar da negativa ao acordo dada na semana passada, a posição dos investigadores de não fechar o acordo com Alencar não é definitiva. A defesa do ex-diretor se comprometeu a levar novos elementos sobre Lula para a negociação. Parte dos procuradores crê que, com o material, há chances de o cenário mudar, segundo publicação da Folha

Advogados ligados à Odebrecht trabalham com essa perspectiva e têm se dedicado a levantar informações e provas solicitadas pelo Ministério Público. Sabem que têm pouco tempo para mudar os rumos da negociação.

Além de Alencar, outros executivos do grupo estão em risco de não ter acordos fechados com a Procuradoria e a força-tarefa, segundo envolvidos nas investigações.

_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget