\imprensa Viva
.

Petistas em pânico com a gravidade das denúncias contra o ex-presidente Lula na Lava Jato


A cúpula do PT convocou uma reunião de emergência para avaliar a extensão dos danos causados pela denúncia oferecida contra o ex-presidente Lula na tarde desta quarta-feira, 14, no âmbito da Operação Lava Jato.

O procurador do Ministério Público Federal Deltan Dallagnol apresentou a primeira parte da denúncia de forma devastadora, na qual os crimes de Lula foram detalhados com precisão e riqueza de detalhes.

O ânimo dos petistas e do próprio Lula foi abaixo, na medida em que os procuradores reforçavam com mais e mais detalhes os objetos da denúncia contra o petista. A avaliação do grupo ligado ao ex-presidente é a de que ele dificilmente sobreviverá ao massacre da tarde desta quarta-feira, 14.

Lula foi apontado como o grande general do esquema criminoso por quase uma dezena de testemunhas ouvidas até o momento pelos procuradores da Lava Jato. São inúmeros os relatos que narram os episódios criminosos que tiveram a participação do petista.

Um dos pontos altos do massacre contra o ex-presidente está relacionado com a denúncia oferecida pela Justiça Federal de Brasília, fora do âmbito da Lava Jato, na qual Lula é réu em um inquérito sobre a prática do crime de obstrução de justiça. O procurador Deltan Dallagnol  afirmou que Lula agiu como "aquele que foge da cena do crime após matar a vitima e depois busca silenciar testemunhas."

Lula acompanhou calado a maior parte da coletiva da Força-tarefa da Lava Jato ao lado de amigos. Seu biógrafo, Fernando Moraes, tentou minimizar o impacto das denúncias e disse que não há surpresa, já que Lula é, na sua opinião, o alvo de um golpe.

"Seria o cúmulo da ingenuidade supor que fariam o carnaval que fizeram para depois deixar o Lula ganhar a eleição em 2018", disse.

Enquanto acompanhava os detalhes da denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal Lula ficou particularmente incomodado com a inclusão de dona Marisa. Ele leu a notícia no celular de um dos assessores.Segundo relatos, numa certa altura da coletiva, Lula passou mal. O petista ficou pálido e quase perdeu os sentidos, quando foi retirado do local pelos presentes.

Os advogados do ex-presidente Lula se reuniram no escritório do petista em São Paulo e convocaram uma coletiva para refutar as denúncias da Força-tarefa da Lava Jato. O advogado Cristiano Zanin Martins leu um texto no qual tentou defender o ex-presidente das denúncias. A defesa de Lula afirmou que a postura do procurador Deltan Dallagnol é incompatível com o posto que ocupa no Ministério Público Federal e classificou a coletiva da força-tarefa como um espetáculo midiático de cunho político.

O advogado Cristiano Zanin Martins caiu em contradição com o depoimento do zelador do edifício Solaris, José Afonso Pinheiro, e da porteira do condomínio, Letícia Eduarda Rodrigues da Silva Rosa, ao afirmar que Lula esteve apenas uma vez no triplex. Segundo as testemunhas relataram ao Ministério Público, Lula foi visto no condomínio duas vezes na época em que o triplex estava sendo reformado pela Tallento Construtora Ltda, empresa contratada pela OAS.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget