\imprensa Viva
.

Marcelo Odebrecht é bandido perigoso e não merece acordo de delação. Roubou até hospitais com o PT


O Delegado da Polícia Federal, Filipe Pace, detalhou uma série de obras que tiveram a participação da Odebrecht, incluindo estradas, hospitais, obras no parque olímpico e confirmou a atuação de comando do empresário que Marcelo Odebrecht, que coordenava pessoalmente o pagamento de propina a obras em todo o país. "Ele tinha poder direção da empresa e também no pagamento de propina."

Entre as obras superfaturadas pela Odebrecht, estão hospitais, a Linha 2 do metrô de São Paulo, o Metrô de Ipanema, obras do Porto de Laguna, processamento de Lixo em São Paulo, obras em Rio das Ostras (RJ), obras de presídios no Rio, de reforma do Santos Dumont, de modernização do Aeroporto de Jacarepaguá, obras do Panamericano, estaleiros, entre outras.

Marcelo Odebrecht instruía seus executivos a indicarem o contato político e prospectar novos negócios para sua empreiteira como contrapartida para liberar propinas em obras já negociadas. O bandido queria estar em todas as obras e não demonstrava o menor escrúpulo em corromper quem quer que fosse. Marcelo Odebrecht está por trás da eleição da pior geração de políticos de já passou por Brasília em todos os tempos.

Marcelo Odebrecht, que contou com a conivência do ex-presidente Lula e de todos os integrantes do PT, participou de esquemas de corrupção envolvendo o BNDES no Brasil e no exterior, na Petrobras e em uma série de contratos com o governo. O ex-ministro Antonio Palocci era o interlocutor entre o PT e a empreiteira e teria continuado atuando mesmo após a deflagração da operação Lava Jato e durante a investigação. Marcelo Odebrecht se comunicava com Antonio Palocci a partir de um esquema de criptografia contratado pelo empreiteiro.

Dados obtidos pela Polícia Federal no celular de Marcelo Odebrecht revelam que o executivo foi um dos principais pagadores da campanha da ex-presidente Dilma Rousseff, com repasses de mais de R$ 100 milhões ao casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura.

Marcelo Odebrecht reluta em firmar um acordo de delação premiada. Oportunista e inescrupuloso, quer escolher os temas que pretende abordar, quer proteger Lula e Dilma e ainda quer responder por seus crimes em liberdade.  Tendo em vista a dimensão criminosa e o alto grau do cinismo do executivo, os membros do Ministério Público Federal deveriam considerar seriamente a opção de deixar Marcelo Odebrecht apodrecer para sempre na cadeia.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget