\imprensa Viva
.

Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo se tornam réus por participação nos desvios na Petrobras


A senadora Hoffmann (PT-PR) e seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo se tornaram réus em um inquérito da Lava Jato no qual figuram como beneficiários do esquema de corrupção que vitimou a Petrobras. Por unanimidade,  os dois se tornaram réus acusados dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

A Segunda Turma do  STF julgou o casal nesta terça-feira, 27, em uma seção que teve início às 14h, na qual foi acolhida a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que aponta os dois como partícipes em um esquema de desvios na Petrobras. O procurador Rodrigo Janot pediu que o casal devolva 2 milhões de reais por danos materiais e morais e que o STF decrete a perda da função pública da senadora.

Em maio, Gleisi e Paulo Bernardo foram denunciados ao Supremo sob a acusação de ter recebido R$ 1 milhão para a campanha da senadora em 2010.

De acordo com depoimentos de delatores na Operação Lava Jato, o valor é oriundo de recursos desviados de contratos da Petrobras. Ambos foram citados nas delações do doleiro Alberto Youssef.

O relator da denúncia é o ministro Teori Zavascki, que lembrou que a senadora Glesi Hoffmann "é figura expoente do Partido dos Trabalhadores". Segundo o representante da PGR, "Os denunciados tinham plena ciência do esquema criminoso e da origem espúria das quantias que receberam."

A Segunda Turma é formada pelos ministros Teori Zavascki, Celso de Mello, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes. Todos votaram com o relator, que acolheu o pedido da PGR.
_____________
__________

Postar um comentário

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget