\imprensa Viva



O ex-presidente Lula tem passado por uma série de constrangimentos durante sua caravana da vergonha que percorre municípios do nordeste. Nem mesmo com a mobilização de diretórios do partido, dos movimentos sociais como MST e de lideranças políticas locais, o petista tem conseguido atrair grandes públicos por onde passa.

A última decepção foi em Penedo, município brasileiro do estado de Alagoas conhecido como a capital do Baixo São Francisco. A expectativa de Lula para esta visita em particular era grande, já que contava com a mobilização prévia dos organizadores do evento, que vinha sendo preparado há mais de trinta dias e anunciado em toda a região como um evento histórico.

O organizadores capricharam nas atrações, e desde das 14 horas, o palco montado na Praça Comendador Peixoto em frente ao Ki barato, era ocupado por atrações diversas, como apresentações de folguedos populares como coco de roda do Tabuleiro dos Negros, o guerreiro  do Bairro Senhor do Bonfim que fizeram referências a cultura nordestina.

Apesar das atrações e de toda publicidade dada ao evento que contou com as ilustres presenças do Governador Renan filho e de seu pai, Senador Renan Calheiros, o público da região não se animou para comparecer ao local. Lula chegou às 17 :15 hrs com sua caravana e não conseguiu esconder a decepção com a baixa presença no local. O petista conversou com seu fotógrafo sobre os ângulos mais favoráveis para tentar passar a impressão de que havia muita gente no local, quando na verdade pouco mais de mil pessoas estavam presentes.

Segundo um jornal local, "O fato negativo dessa passagem de Lula por Penedo, foi na verdade o número pequeno de pessoas que foram prestigiar aquele evento. Ficou a quem, do esperado. Público muito diminuto para o tamanho da propaganda da  chegada do Ex.Presidente. A Praça Comendador Peixoto em frente ao Ki barato, que não é tão grande assim, não conseguiu lotar, tornando-se frustante para quem ficou a frente da Coordenação e até para parte da imprensa local em comentários  em off".

Fizeram uso das palavras lideranças sindicais Professoras Vanusia e Ester, políticas como Jorginho Seixas Presidente do diretório do PT local, Deputado Federal Paulão,  Ronaldo Lopes Prefeito em exercício de Penedo, o Governador Renan filho e Senador Renan Calheiros e por fim  o ex. Presidente Lula, que trocou o nome de Penedo por Toledo. Quando o petista diz que não vai falar muito por causa da garganta, é por que está decepcionado com o número de ouvintes, confirmou um dos organizadores do evento.

Mas não foi apenas o ex-presidente Lula que se sentiu frustrado com a presença tímida dos penedenses e visitantes. Os ambulantes que também tinham expectativas positivas para este dia viram seus produtos encalhados. Muitos se queixavam que tinha mais gente do MST do que moradores da região.

Um dos vendedores ambulantes afirmou que "esse pessoal de vermelho é tudo duro" e disse que sua única venda foi para um dos manifestantes que estiveram no local para protestar contra a visita do petista.



Atento aos movimentos imprevisíveis dos ministros do STF, o juiz federal Sérgio Moro resolveu se antecipar a surpresas desagradáveis e decidiu soltar o ex-deputado federal Cândido Vaccarezza, em caráter temporário, durante a deflagração da 44ª fase da Operação Lava Jato, batizada como "Abate".

No despacho, Moro determinou que o ex-líder dos governos Lula e Dilma deverá pagar fiança de R$ 1.522.700,00. O pagamento poderá ser feito 10 dias depois da saída dele da cadeia. Para ter direito ao habeas corpus, ele deverá assinar um termo de compromisso, garantindo que poderá depositar o dinheiro no prazo determinado por Moro.

A defesa de Cândido Vaccarezza alegou que o ex-líder de Lula e Dilma pode estar com câncer e que tinha uma biópsia de próstata marcada e juntou prova do agendamento do exame.

Quando foi preso, a Polícia Federal apreendeu R$ 122 mil reais na casa do petista, que recebe um salário de R$ 10.800,00 na rede de saúde de São Paulo. Vaccari afirmou que pegou o dinheiro emprestado com um amigo. Ao concordar com a fiança estipulada por Moro, o ex-petista não informou de onde vai tirar R$ 1.522.700,00 para pagar a fiança.

A Globo noticiou o fato, mas não mencionou que Vaccarezza era do PT, líder de Lula e Dilma na Câmara e que é acusado de intermediar pelo menos R$ 100 milhões em propina para o Partido dos Trabalhadores. 



O ex-presidente Lula protagonizou uma cena deprimente durante a caravana em que faz campanha eleitoral antecipada pelo nordeste. A senadora Gleisi Hoffmann registrava a recepção da caravana por militantes do PT durante a chegada do ônibus em uma cidade no interior do estado de Sergipe.

Logo em seguida, o ex-presidente Lula deixa a cabine inferior do ônibus e sobe os degraus da escada que leva ao corredor de poltronas. Neste momento, o petista se depara com um assessor que usava o celular e perde o controle, gritando com o rapaz na frente de todos os demais presentes.

O petista não quer nem saber se o rapaz informava à sua família que havia acabado de chegar em segurança em mais um trecho da caravana ou se vivia momentos de aflição com alguma situação particular durante a viagem, quando não havia sinal no celular. Descontrolado, Lula berra com o rapaz, grita palavrões sem se importar em causar tamanho constrangimento ao assessor. Nas redes sociais, defensores de Lula acharam normal o petista tratar seu colaborador como um cavalo.

Se Lula não consegue respeitar nem mesmo seus colaboradores, que dirá o cidadão anônimo alheio aos seus atos do cotidiano. Acompanhe o descontrole e o desrespeito do petista para com os integrantes de sua equipe no vídeo abaixo:




Por decisão unânime dos ministros do Supremo Tribunal Federal, STF, o senador Fernando Collor de Mello acaba de se tornar réu na Lava Jato. O ex-presidente e sócio da Rede Globo é acusado de ter cometido os crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, envolvendo o recebimento de mais de R$ 30 milhões em negócios da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras.

A denúncia contra Collor apresentada em agosto de 2015  origina-se de uma das seis investigações sobre o senador abertas no STF, sendo cinco da Lava Jato e outra baseada na delação da Odebrecht sem relação com a Petrobras. Colr entra agora para a galeria de senadores réus, tendo como companhia a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Valdir Raupp (PMDB-RO).

Os crimes de desvios envolvendo Collor ocorreram durante as administrações petistas dos ex-presidentes Lula e Dilma. 



O delegado da Polícia Federal Filipe Hille Pace, mesmo que foi processado pelo ex-presidente Lula, colocou por trás das grades mais um peixe graúdo do PT. Em relatório divulgado nesta terça-feira, Pace afirmou que ‘existem robustos elementos probatórios de que a atuação criminosa’ do ex-líder dos governos Lula e Dilma, Cândido Vaccarezza, ‘na Petrobrás não se limitou ao seu suporte político para a contratação da empresa Sargeant Marine pela estatal’..

O delegado da PF foi alvo de um processo de reparação por danos morais movido pelo ex-presidente Lula, que queria uma indenização de R$ 100 mil. Lula processou o delegado por ter citado em um relatório policial o nome do petista constava na “planilha de propina” da empreiteira Odebrecht, sob o apelido de “Amigo”, a quem eram destinados milhões em propina.

Poucos dias após o relatório de Pace, o executivo Marcelo Odebrecht confirmou que Lula era sim o "Amigo" que aparecia nas planilhas de propina e disse ainda que o petista chegou a ter um saldo de mais de R$ 23 milhões na conta do banco de propina da empreiteira.

No relatório de buscas e apreensões no âmbito da Operação Abate, 44ª fase da Lava Jato, o delegado Filipe Pace concluiu que ‘houve, por parte do grupo encabeçado’ pelo lobista Jorge Luz, tentativa de envolver Cândido Elpídio de Souza Vaccarezza para o sucesso de ao menos três oportunidades de negócios na Petrobrás. Somente em uma das supostas negociatas, as investigações dão conta de uma solicitação de R$ 100 milhões de Vaccarezza enquanto arrecadador do Partido dos Trabalhadores"



O Ministério Público Federal pediu que Aldemir Bendine, o ex-presidente Banco do Brasil e ex- presidente da Petrobras durante os governos dos ex-presidente Lula e Dilma, seja condenado a prisão por 25 anos pelos crimes de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, embaraço à investigação e organização criminosa.

Também são acusados os empresários Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, os operadores André Gustavo e Antonio Carlos Vieira da Silva e o doleiro Álvaro Novis. A investigação da Lava Janto apontou que, na véspera de assumir a presidência da Petrobrás, Bendine exigiu R$ 17 milhões em propina de Marcelo Odebrecht e Fernando Reis. O pedido teria ocorrido para que o grupo empresarial Odebrecht não fosse prejudicado na estatal, inclusive em relação às consequências da Operação Lava Jato.

O juiz federal Sérgio Moro mandou transferir o petista da carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, base da Operação Lava Jato, para o Complexo Médico-Penal em Pinhais, região metropolitana da capital paranaense. A decisão atende pedido da própria corporação.



Para aqueles que achavam que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, passou dos limites ao promover o vergonho acordo com os criminosos da JBS, surge uma nova proposta dos açougueiros amigos do PT que desafia o bom senso da população.

Após conseguir um habeas corpus eterno sem entregar nenhuma prova ou devolver um único centavo aos cofres públicos, o empresário Joesley Batista anunciou que vai pedir um prazo de 180 dias para apresentar anexos de seu generoso acordo delação premiada. A solicitação será feita à Procuradoria Geral da República (PGR).

Segundo informou o G1 da Globo, parceira do Grupo empresarial, a proposta vale partir do dia 31 de agosto e os delatores querem mais 6 meses para fazer investigações internas e entregar mais material sobre políticos e sobre crimes praticados pelos donos e executivos da empresa. Isto significa que o material deverá ser entregue entre o fim de fevereiro e o início de março do ano que vem.

Após ter sido desmentido pela própria esposa, Ticiana Villas Boas, Joesley Batista alegou em nota que "nenhum dos colaboradores mentiu em qualquer depoimento".

Providencialmente, o pedido ocorre faltando poucos dias para o fim do mandato de Rodrigo Janot no comando da PGR. O procurador deixa o cargo em 17 de setembro, quando assume a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge.



Há pouco mais de 90 dias, a revista "Época", da Rede Globo, conseguiu um furo de reportagem extraordinário com a entrevista concedida pelo pobre empresário Joesley Batista, dono da JBS e vítima de um dos mais cruéis regimes de corrupção do país. Joesley afirmou que foi obrigado pelo presidente Michel Temer a embolsar cerca de R$ 60 bilhões dos cofres públicos.

Em sua entrevista à revista "Época", Joesley confirmou que "o presidente Michel Temer lidera a maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil".

Segundo Joesley Batista, Temer é um homem perigoso que trancafiava os ex-presidentes Lula e Dilma no porão do Palácio do Planalto, enquanto dava chicotadas no então presidente do BNDES, Luciano Coutinho, para que ele liberasse bilhões para o Grupo JBS.

Agora é perfeitamente possível compreender a extensão da maldade de Temer com os pobres petistas do governo, como os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega. Agora sim, tudo ficou mais claro. Temer é verdadeiro o dono do sítio em Atibaia, do triplex no Guarujá, da cobertura em São Bernardo do Campo e era ele quem embolsava os milhões das palestras feitas por Lula num cruel regime de trabalho escravo. O pobre retirante nordestino sofreu na mão do perverso.

 Conhecido pelos apelidos de "Mordomo" e "Conde Drácula" o satanista Michel Temer também estaria por trás dos assassinatos do prefeito de Santo André, Celso Daniel e de Toninho do PT, segundo a revista Época, da Rede Globo e o empresário Joesley Batista.

Mas as injustiças não param por ai. Esta semana, o ex-presidente Lula foi citado e intimado oficialmente sobre a denúncia que envolve o sítio em Atibaia. A defesa tem até o dia 25 de agosto para apresentar resposta a partir da notificação. O petista se tornou réu pela sexta vez em 1º de agosto por decisão de Sergio Moro, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. Reformas no sítio Santa Bárbara teriam sido pagas pelas empreiteiras Odebrecht e OAS e pelo pecuarista José Carlos Bumlai. O valor, acusa o MPF, chegou a cerca de R$ 1.020.500,00.

O petista, que responde a processos nas operações Zelotes, Janus e Lava Jato, foi condenado nesta última a nove anos e seis meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro por meio de um tríplex no Guarujá, construído e reformado pela OAS por cerca de 2,2 milhões de reais.

Enquanto o pobre coitado do Lula paga pelos crimes do mordomo, ele continua morando no Palácio do Jaburu, com aquela taça de vinho na mão, aquele charuto no canto da boca, aquele roupão escarlate de de seda, aquele cabelo molhado, olhando para a Marcela naquela cama enorme... 



O ex-presidente Lula foi novamente flagrado em seu estado natural durante a caravana da vergonha pelo Nordeste. O petista que já foi gravado pela deputada (PCdoB) em conversa com a ex-presidente Dilma dizendo “eles que enfiem no cu todo este processo” caiu novamente em uma gravação descuidada da senadora Gleisi Hoffmann.

A petista registrava a chegada a uma cidade no interior do Sergipe e acabou gravando o momento em que Lula dava um esporro em um de seus assessores que usava o celular, Acompanhe a agressividade do petista no vídeo abaixo:



Enquanto os brasileiros manifestam sua indignação com a impunidade dos corruptos no país, os ministros e juízes esfregam as mãos de alegria com tantos poderosos investigados, denunciados e presos. Pelo menos no que depender das conversas de bastidores ouvidas em Brasília, um habeas corpus pode custar mais de R$ 2 milhões. Este teria sido o valor pedido pelo Senador Aécio Neves ao criminoso confesso Joesley Batista. O tucano havia afirmado que precisava do dinheiro para "bancar as despesas com sua defesa".

Quanto mais poderoso e influente, maiores seriam os custos para comprar pareceres favoráveis, adiamento em investigações e engavetamento do processos. Considerando o grau de impunidade de criminosos ligados aos políticos, como os empresários Eike Batista e Jacob Barata, ambos soltos por Gilmar Mendes e com fortes conexões com Lula e Sérgio Cabral, fica a dúvida sobre a imparcialidade dos ministros, procuradores e juízes que andam soltando bandidos que deveriam apodrecer atrás das gradas.

Um dos casos mais emblemáticos dos últimos tempos foi o habeas corpus eterno concedido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot e homologado pelo ministro Edsons Fachin, do STF, aos criminosos do grupo JBS;Friboi. A nação não engoliu até o hoje o fato de Joesley Batista ter levado toda sua mudança para os Estados Unidos, junto com 80% da empresa que se agigantou com o dinheiro do contribuinte liberado aos bilhões por Lula e Dilma.

Outro caso de impunidade que tem chamado a atenção é o dos filhos do ex-presidente Lula. No caso do petista, sua liberdade é simplesmente uma aberração para a sociedade. Mas no caso de seus filhos, investigados por enriquecimento ilícito em várias operações da Polícia Federal, a impunidade que desfrutam até hoje tem cheiro de muito dinheiro.

Esta semana, durante a Operação Cobra, a Polícia Federal encontrou na casa do ex-presidente da Petrobras e Banco do Brasil Aldemir Bendine três folhas com anotações manuscritas referentes à Gamecorp, G4 e BR4. As empresas pertencem a Lulinha, filho mais velho do ex-presidente Lula. A Gamecorp já recebeu patrocínio do Banco do Brasil e tentou vender serviços à área de tecnologia quando Bendine era o chefe da instituição financeira. Bendine, que milagrosamente está preso, e Lulinha, mantiveram encontros misteriosos no banco em São Paulo.




Mesmo na cadeia, o empresário Marcelo Odebretcht tem muitas razões para agradecer, e poupar, os ex-presidentes Lula e Dilma. O patriarca do Grupo, Emílio Odebrecht, já inclusive manifestou a sua gratidão durante depoimentos à Polícia Federal, quando reconheceu que sem Lula, sua empresa não teria saltado de um faturamento de R$ 4 bilhões em 2003 para quase R$ 200 bilhões em 2014.

A valorização da empresa no mercado foi bem parecida com a experimentada pelo pequeno frigorífico dos açougueiros da Friboi. O Grupo, que passou a se chamar JBS a partir de 2007, valia cerca de R$ 1,7 bilhões naquele ano e hoje tem valor de mercado superior a R$ 170 bilhões.


Assim como Marcelo e Emílio Odebrecht, Joesley e Wesley Batista têm bilhões de motivos para agradecer Lula e Dilma.

A magia do governo Lula só foi possível graças ao dinheiro do contribuinte, que serviu para alavancar negócios dos maiores financiadores das campanhas do PT. A roubalheira era tanta, que sobrava até dinheiro para financiar as campanhas dos adversários do partido, tudo com o aval de Lula, é claro.

Mas segundo a lógica onde tudo que se tira de um lado acaba faltando do outro, o Brasil e o povo saíram perdendo nesta relação incestuosa do PT com os barões do propinato eleitoral. O valor de mercado da Petrobras em 2008 era de R$ 510,3 bilhões e chegou a valer pouco mais de R$ 70 bilhões ao final do governo Dilma. Enquanto a Odebrecht e Friboi ampliaram os próprios ganhos em mais de 800% durante as administrações petista, a Petrobras viu suas receitas minguando, foi obrigada a se desfazer de ativos, adotar uma arrojada política de desinvestimentos e cortar postos de trabalho.


E Lula Dilma ainda diziam que "A Petrobras é nossa".



A ex-presidente Dilma Rousseff voltou a comparar os dois pré-candidatos à Presidência mais bem posicionados nas pesquisas eleitorais, Jair Bolsonaro e João Doria, a Adolf Hitler. A candidatura de Lula não é certa, tendo em vista que o petista já foi condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na primeira instância.  Na mesma entrevista que concedeu à BBC Brasil, Dilma defende o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

BBC - A senhora acredita que Lula é a resposta que o Brasil precisa? O país não precisa de um novo líder, sangue novo?

Dilma Rousseff - Desde quando o novo é necessariamente novo em relação a um conceito positivo? O novo pode ser um Hitler. Não há garantia nenhuma. O povo reconhece o Lula porque durante o governo do presidente o povo viveu melhor. Não tem nenhuma manipulação.

BBC - Há muito tempo o PT apoia o governo da Venezuela. Recentemente, a presidente do partido, Gleisi Hoffman, reafirmou o apoio. Qual é a sua opinião sobre isso?

Dilma Rousseff - Eu vi a Venezuela antes do Hugo Chávez. Eu acho que Chávez foi o grande líder. Ele teve a sorte de pegar a evolução do preço do barril do petróleo chegando a US$ 140. Uma situação bastante confortável. Quando o preço começa a cair, não é só a Venezuela que sente. E aí a situação começa a ficar difícil.

Acho que o presidente Nicolás Maduro não tem a mesma estatura do Chávez. E com isso eu não estou fazendo nenhuma análise de valor. São pessoas diferentes. Acho que o Maduro pegou a Venezuela numa situação extremamente drástica, com uma queda violenta do preço do petróleo, que é um elemento fundamental no orçamento dele. 



O ex-presidente Lula anda culpando a ex-presidente Dilma pela tragédia na economia do país, que mergulho na maior recessão da história durante o último governo do PT. A administração petista deixou 14 milhões de desempregados, um rombo de quase R$ 200 bilhões nas contas publicas e uma perda de receitas de mais de R$ 500 bilhões com as renúncias fiscais promovidas por Lula e Dilma, sem que fosse gerado um único emprego.

Lula tem se queixado dos empresários que não estão reconhecendo sua generosidade com o dinheiro do contribuinte e finge ignorar que a expansão de gastos do governo nos últimos 14 anos premiou grandes empresas com subsídios que superaram os destinados a programas sociais, informa a Folha. "Conhecidos como 'bolsa empresário', esses recursos serviram para conceder crédito mais barato, prover garantias e até socorrer empresas ou setores inteiros.

Segundo o Ministério da Fazenda, de 2003 a 2016 os subsídios embutidos em operações de crédito e financeiras somaram quase R$ 1 trilhão. 60% disso foi parar nos bolsos dos banqueiros e outros 40% para o setor produtivo, que aumentou seus lucros tendo que recolher menos impostos com as isenções fiscais.

Para se ter uma ideia, este valor representa o triplo do que os governos petistas destinaram a programas sociais (R$ 372 bilhões) no mesmo período e também àqueles ligados à agropecuária e que cumprem as duas funções (econômica e social). Em sua caravana pelo nordeste, Lula faz  duras críticas à “elite brasileira”, mas sempre dá um jeitinho de mandar um recado subliminar aos bilionários: “Eles sabem que eu sou capaz de recuperar este País”. A Globo, Oi, Odebrecht, Friboi e os bancos entenderam bem o recado.

Enquanto isso, Lula, os jornalistas de aluguel e os artistas órfãos da Lei Rouanet continuam repetindo para os pobres que o PT é o partido que defende seus interesses. 



Está ficando cada vez mais claro que o futuro do país está nas mãos da sociedade, O povo está sozinho na missão de buscar o melhor caminho para o país através do voto nas próximas eleições. Se depender dos políticos, dos meios de comunicação e dos formadores de opinião, como artistas, jornalistas e intelectuais, que até hoje não ajudaram o país em nada, tudo vai continuar como está.

Os grupos organizados mencionados acima estão mais do que nunca comprometidos com seus interesses espúrios, em detrimento dos interesses da sociedade. A máscara de toda essa gente caiu e não há praticamente nenhum destes "formadores de opinião" com moral ou credibilidade para influenciar o eleitor na hora do voto. Este deve ser mais do que nunca um momento solitário, de muita reflexão e responsabilidade.

Nas próximas eleições, o eleitor terá a oportunidade de renovar o Congresso, colocando gente nova, competente e comprometida com o bem estar da sociedade de modo geral, incluindo ai não apenas as minorias, mas também os geradores de emprego, os empreendedores, os profissionais de educação comprometidos com a educação e não com as ideologias políticas.

Não será o momento de votar naquele que tem maiores chances de se eleger, no mais fanfarrão ou naquele que gastar mais milhões. Não será o momento de votar naqueles partidos, inclusive os que mudaram de nome, que participaram dos governos corruptos ao longo das duas últimas décadas. Será preciso permanecer atento e vigilante quanto aos lobos em pele de cordeiro, os muito bonzinhos, aqueles que tentam se apropriar de questões como a racial, de gênero ou a questão social de modo mais amplo. Estes costumam ser os maiores oportunistas, justamente os que exploram o desespero dos mais oprimidos e menos favorecidos.

O povo está mais sozinho do que nunca desta vez na missão de construir novos caminhos para o Brasil. Praticamente todos os grupos que tentam influenciar a população na hora do voto estão comprometidos até o pescoço com o o jogo sujo da política, estão afundados no chorume da corrupção, da troca de favores e do jogo de interesses que não contempla as necessidades reais da sociedade. Pesquise mais sobre cada candidato, sobre suas origens e seus propósitos. Leia, informe-se e descubra seus elos com o mercado, com sindicatos, com movimentos sociais, com grupos empresariais e principalmente com grupos políticos. Quanto mais a sociedade conseguir renovar a classe política nas próximas eleições, maiores serão as chances de se romper com tudo que está ai e que até hoje não ajudou em nada o país.

E lembre-se. A Bandeira do Brasil não é vermelha. 



Muitas pessoas ainda se surpreendem com a cara de pau de artistas, políticos e jornalistas que ainda tentam defender o ex-presidente Lula, apesar do assalto fabuloso aos cofres públicos na última década e meia. Seria desgastante enumerar tantos processos e inquéritos em que o petista figura como autor de centenas de crimes de lavagem de dinheiro, corrupção, falsidade ideológica, ocultação de patrimônio, tráfico de influência internacional, formação de quadrilha e até mesmo roubo de peças do acervo da Presidência da República.

De mesmo modo seria extenuante listar todos os cúmplices do petista que já foram condenados pelos mesmos crimes, sendo que apenas do PT, já foram 13, contando com o próprio Lula. Tem ainda os empresários e políticos corruptos presos e condenados por crimes associados ao petista, ao PT, todos envolvendo recursos dos cofres públicos provenientes da Petrobras, BNDES, ministérios e onde mais os petistas puderam roubar. Lula é aliado de gente da laia de Emílio e Marcelo Odebrecht, Eike Batista, Sérgio Cabral, Léo Pinheiro, João Santana, Joesley Batista e outros ratos que se serviram do banquete de corrupção oferecido por Lula e o PT com o dinheiro do contribuinte.

Apesar de tantos crimes que se estendem desde os desvios na prefeitura de Santo André, ao assassinato de Celso Daniel, o mensalão, o petrolão e outros esquemas criminosos envolvendo o petista, há ainda aqueles que o defendam. Não apenas aqueles ignorantes que acreditam que os benefícios sociais credenciam Lula a algum tipo de gratidão, mas também aqueles supostamente esclarecidos que se beneficiaram de formas mais generosas do dinheiro do contribuinte, como através da Lei Rouanet, dos repasses de propina da Petrobras ou das verbas generosas da SECOM, o órgão do governo responsável pela distribuição de dinheiro para propaganda em veículos de comunicação.

Diante de todos estes fatos, não é surpreendente que pessoas inescrupulosas ainda apostem em suas reputações duvidosas para defender Lula. Afinal, são os mesmos que defendem corruptos e ditadores sanguinários como Nicolás Maduro da Venezuela. 



Enquanto estiver em liberdade, o ex-presidente Lula vai abusar da impunidade, se vangloriar de seus feitos e desqualificar as autoridades do país. Enquanto Lula estiver solto, muitos brasileiros ainda se permitirão influenciar por seus discursos raivosos contra o pais e as últimas autoridades que ainda procuram zelar pelas instituições e pela Justiça no Brasil.

Para a maioria dos brasileiros, Lula é o bandido responsável pelo maior assalto aos cofres públicos da história do país e roubou onde foi possível colocar seus cúmplices, como no BNDES, Banco do Brasil, Petrobras, Fundos de Pensão e onde mais se possa imaginar.

Lula levou para Brasília a pior geração de políticos de que se tem notícia, alisou-se a criminosos profissionais em esquemas lavagem de dinheiro, especialistas em técnicas sofisticadas de desvios públicos e empresários oportunistas, como Eike Batista, Marcelo Odebrecht e Joesley Batista.

Lula criou empresas como a 7 Brasil para ampliar o volume de dinheiro que já era desviado sem dó nem piedade da Petrobras, que assim como o Brasil, ficou praticamente após o final trágico do governo Dilma, a ex-presidente afastada por maquiar as contas públicas e deixar um rombo que vai levar mais de cinco anos para ser definitivamente coberto.

Para a Justiça, ao menos na primeira instância, Lula é um criminoso condenado a prisão por 9 anos e seis meses pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. O petista teve todos os imóveis adquiridos de forma ilícita confiscados pela Justiça, bem como quase R$ 10 milhões em propina bloqueados em suas contas.

Apesar de condenado e de figurar e mais uma meia dúzia de processos e inquéritos criminais, apesar do histórico criminal extenso, Lula ainda é visto como alternativa para o país por uma minoria desinformada da população. Infelizmente, os eleitores de Lula são o tipo de gente que só se dá conta de que um bandido é bandido quando o veem atrás das grades. 



Como se não bastasse ter sido condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, ter sido flagrado com quase R$ 10 milhões de propina em suas contas, o ex-presidente Lula ainda roubou centenas de objetos do acervo da Presidência da República. Os mais valiosos, incluindo obras de arte, moedas e espadas de ouro, Lula escondeu em um cofre do Banco do Brasil registrado em nome de sua esposa Marisa Letícia, falecida em fevereiro.

Há poucos meses, o juiz federal Sérgio Moro determinou que 21 objetos considerados mais valiosos que estavam em posse do ex-presidente Lula e que foram apreendidos na Operação Lava Jato fossem devolvidos ao Patrimônio da União pela Secretaria de Administração da Presidência da República. Na ocasião, Moro mandou a Polícia Federal pegar Lula em casa e levá-lo coercitivamente para depor, após dezenas de tentativas do oficial de Justiça em intimá-lo.

Mas o Tribunal de Contas da União (TCU) não se deu por satisfeito e quer a devolução de todos os objetos roubados por Lula. O órgão já identificou graves irregularidades em toda a gestão do patrimônio público referente a “presentes”, recebidos pela Presidência da República desde 2002. A interpretação gramatical do inciso II do Decreto 4.344/2002 apenas admite a conclusão de que não só os documentos bibliográficos e museológicos, recebidos em eventos formalmente denominados de “cerimônias de troca de presentes”, devem ser excluídos do rol de acervos documentais privados dos presidentes da República, mas, também, todos os presentes, da mesma natureza, recebidos nas audiências da referida autoridade com outros chefes de estado ou de governo, independentemente do nome dado ao evento pelos cerimoniais e o local que aconteceram.

Com a preocupação de resguardar o patrimônio público, o TCU determinou medida cautelar no sentido de que as pessoas físicas ou jurídicas de direito privado, detentoras de acervos presidenciais privados, abstenham-se de vendê-los ou doá-los, até que esta Corte de Contas manifeste-se quanto ao resultado das providências determinadas.

No período auditado, comprovou-se que os presidentes em exercício receberam 1.073 presentes. Destes, 361 foram registrados como pessoais ou de consumo direto pelo recebedor restando 712 presentes, dos quais apenas 15 foram incorporados ao patrimônio da união, sendo todos os demais levados irregularmente por Lula e Dilma, como propriedade pessoal.

É claro que nem todos os brasileiros são honestos e que existe muita gente sem vergonha que ainda defenda bandido da laia de Lula. Mas felizmente, esta gente não representa a maioria da sociedade. Constituem um contingente de páreas incapazes de viver sem a corrupção e as facilidades garantidas pela esquerda corrupta, que compra a simpatia dos pobres miseráveis que se vendem por alguns trocados. São pessoas que não sabem o que é democracia, ética e honestidade. 



O ex-presidente Lula não está nada satisfeito com os gritos de ladrão que anda ouvindo por onde passa. Irritado com as falhas na segurança, o petista partiu para o esculacho e deu uma bronca enérgica nos organizadores de sua caravana pelo nordeste, após ter sido hostilizado em mais de dez oportunidades durante sua passagem pela Bahia.

Lula não quer mais saber de gritos de ladrão e exigiu que sua equipe de seguranças e auxiliares tomem as providências cabíveis, "seja o que for", exigiu o petista.

A partir de agora, o petista não irã mais se locomover a pé sem que seja totalmente cercado por militantes e simpatizantes. A ordem é criar uma massa de isolamento de pelo menos 100 pessoas em volta de Lula. Sobre os gritos e ofensas, a equipe reconhece que é uma tarefa praticamente impossível.

"Não há como agir preventivamente nestes casos", afirma um dos responsáveis pelos deslocamentos de Lula a pé, normalmente quando ele desce de veículos ou percorre pequenos trajetos em locais de difícil controle. O petista acaba se tornando vulnerável aos transeuntes, que muitas vezes não resistem e acabam gritando "fora ladrão", diz um membro da equipe do ex-presidente.

A caravana de Lula contempla visitas apenas a locais controlados pelos organizadores e com a presença de militantes de movimentos sociais e sindicais nas regiões a serem visitadas. Quando o petista é exposto a população de verdade, a situação muda de figura. "A tensão entre os seguranças aumenta a cada deslocamento. O objetivo da caravana é o de produzir belas imagens, mas também evitar que a imprensa registre situações desagradáveis", diz um dos organizadores da caravana.



Um dos primeiros atos procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no comando da PGR foi  publicar no Diário Oficial uma portaria regulamentando o auxílio-moradia. Isso dois dias depois de assumir o cargo. A partir desta decisão de Janot, a União passou a pagar o aluguel de um inquilino seu, o secretário-geral do Ministério Púbico da União, Blal Dalloul.

O apartamento que Janot possui em Brasília está alugado por R$ 4.000 mensais, enquanto o valor do aluguel de outros apartamentos no meso edifício gira em torno de R$ 2000,00. Ao tentar explicar o vergonhoso ato do aluguel superfaturado custeado com o dinheiro do contribuinte, Janot alegou por meio de sua assessoria que “não existe impedimento legal de uma pessoa alugar imóvel a 1 conhecido” e que “o auxílio-moradia não tem relação com o contrato de aluguel do imóvel, por isso não existe conflito de interesse no caso“. Leia a matéria AQUI

Considerando este aspecto da índole de Janot, que usa o próprio cargo para auferir vantagens pessoais, uma micharia vergonhosa, diga-se de passagem, torna-se possível levantar outra questão: quanto Janot levou para conceder um habeas corpus vitalício para os criminosos da JBS?

Trancado sigilosamente com Joelsey Batista numa sala da PGR, ouvindo do habilidoso açougueiro da Friboi como ele conseguiu comprar 1890 políticos e distribuir mais de R$ 1 bilhão em propinas através de esquemas ultra seguros de repasses financeiros no exterior, Janot teria se sentido tentado a garantir uma "aposentadoria" mais generosa?

Considerando que Joesley transferiu 80% da empresa que vale mais de R$ 150 bilhões para os Estados Unidos e que Janot pretende tirar férias de quatro meses após entregar o cargo em setembro justamente nos Estados Unidos, o procurador teria caído na tentação de embolsar alguns milhões em troca do favorecimento dos criminosos que juntaram uma fabulosa fortuna com o dinheiro do contribuinte a ajuda de Lula e Dilma? Para quem se dispôs, logo no segundo dia de mandato, a aprovar um projeto de auxílio-moradia e superfatura um aluguel, isto não parece algo assim tão impossível.




Prêmio para quem identificar o funcionário que vazou um áudio pelo Whatsapp descrevendo a mudança estratégica da emissora em sua linha editorial. Esta é a informação que circula nos corredores da Rede Globo esta semana. A direção da emissora estaria  realizando uma verdadeira caça às bruxas para descobrir quem foi o funcionário que divulgou um relato sobre a política adotada pelo departamento de jornalismo após o escândalo da divulgação de uma transcrição falsa da gravação do empresário Joesley Batista com o presidente Michel Temer.

Logo que tomou conhecimento do áudio, a Globo identificou o potencial explosivo da gravação e resolveu tomar algumas providências. Uma das estratégias adotadas pela direção da empresa para desqualificar o áudio foi a de atribuir propositalmente a gravação ao diretor do Fantástico, Luiz Nascimento, que logo em seguida, desmentiu a autoria do relato. Em outra frente, foi vazado um novo áudio pelo Whasapp com o mesmo título, porém repleto de erros de português e com informações nada técnicas, como as do áudio original. Quem ouve a segunda versão do áudio, logo percebe se tratar de algo falso e descarta a notícia, sem tomar conhecimento do áudio original.

Mas se a notícia teoricamente já foi desmentida e tratada pelo resto da imprensa como Fake News, por qual motivo a emissora ainda estaria investigando o responsável pela divulgação do áudio? Segundo uma fonte da Globo, está descartada a possibilidade de se tratar de alguém da alta cúpula do jornalismo da emissora. Mas não foi descartada a possibilidade de um dos participantes das reuniões de pauta tenha comentado a estratégia da emissora com um funcionário de outro departamento, responsável pela autoria do relato que circula no Whatsapp e na Internet.

Embora seja conduzida com discrição, a investigação não se restringe aos funcionários da Rede Globo no Projac ou na sede administrativa da Rede Globo encontra-se no bairro do Jardim Botânico, bairro localizado na Zona Sul do município do Rio de Janeiro. O alerta vale para o Sistema Globo de Rádio, onde fica a CBN na Rua do Rússel, no bairro da Glória, nas redações do Jornal Extra, do Jornal o Globo e em outros veículos controlados pelo Grupo de Comunicação.

Apesar da busca frenética pelo autor da façanha, a Globo insiste em afirmar que se trata de um áudio falso, mesmo sem ter conhecimento sobre quem seria o autor da gravação. A pessoa que divulgou o áudio parece bastante familiarizada com o departamento de jornalismo da emissora e fala com bastante propriedade no assunto, o que indica de fato se tratar de um funcionário da casa. Vale à pena ouvir o relato e tirar suas próprias conclusões sobre a veracidade ou não dos fatos narrados. Quem acompanha a programação da Globo, poderá constatar que há sim muitas verdades nas denúncias, independente de tratar-se ou não de um funcionário da emissora.

A manobra de tentar atribuir a gravação a A ou B pode ser apenas uma estratégia para desqualificar um registro que pode sim, ser verdadeiro. Embora o áudio tenha sido divulgado de forma anônima, isto não significa que não seja autêntico e que não tenha sido gravado por alguém de dentro da emissora.



Ouça a gravação original no arquivo abaixo:









A transcrição do áudio original:

"Terça-feira, 8 de agosto de 2017. Por questões óbvias não vou me identificar porque há uma caça a bruxa dentro do jornalismo da Globo procurando quem é mais alinhado com a esquerda e quem não é. A partir de agora o público poderá notar que as editorias de jornais vinculados à rádio CBN, ao G1 e também aos programas jornalísticos da Rede Globo vão estar mais alinhados com a esquerda e preparando a volta do Lula, que está completamente alinhado com a família Marinho, apesar de ele falar aos berros que vai fazer aos berros isso e aquilo está tudo orquestrado com a editoria do jornalismo da rede Globo.

Ali Kamel, Silva Faria, Boni, Mariano, Miguel Taís, Cristina Persentini que são os diretores das duas grandes praças jornalísticas da Globo estão alinhados com a família Marinho para que toda a notícia vinculada a Temer e também ao João Dória em São Paulo, sejam fracionadas durante o jornalismo para que se fale o tempo todo dos dois de forma até caluniosa. Um exemplo: os empregados da Dilma agora são desempregados do Temer. A culpa da dívida do Brasil não é do legado de Lula e Dilma. É culpa do Temer. Até os salários atrasados do Rio de Janeiro é culpa do Temer. Bem como uma rua esburacada há mais de 50 anos é culpa do João Dória.

Há uma tendência já acertada com a esquerda para que se fale de forma até caluniosa de Temer e de João Dória nos jornais e no jornalismo da Globo e nas programações de rádio. A ideia é que seja estendida ao máximo a notícia para que se fale coisas ruins destas duas grandes personalidades, que seriam os grandes adversários da propensa volta do Lula ao poder.


Outra coisa também é que vamos ver uma Globo será avermelhada. Vocês vão começar a ver o tom mais vermelho do que a cores tradicionais da TV Globo. Isso já foi utilizado como propaganda subliminar na época da época da retomada da democracia que não se sabia o que iria acontecer com o país, a Globo não sabia dos artificíos para fazer propaganda subliminar.

E assim também é com as propagandas fracionadas no jornalismo. Você fala muito o tempo todo durante o jornalismo, na apresentação dos jornais, sobre as mesmas coisas e vinculando o nome de João Dória e Temer. Vocês também vão ver muitas notícias sobre o Judiciário. Vão ter muitas notícias sobre juízes corruptos, membros do Ministério Público, da corrução. O que também acontece, mas vocês vão ver muito mais notícias sobre isso. Mas vocês vão ver muitas notícias antigas, velhas e arquivadas que o povo não lembra vão ser trazidas de volta paraseja jogado MPF e PF um contra o outro e que seja feita a exposição de juízes de primeira instância. Isso tudo para atingir O Moro e a Lava-Jato, acreditem a Globo é contra o juiz Moro e a Lava-Jato. Fiquem atentos e que nós sejamos espertos quanto ao imperialismo da rede Globo. Não estou sendo contra a casa, mas eu não acho isso direito e acho legal a população saber. Principalmente, uma pessoa que está dentro do sistema Globo e que tá acompanhando de perto todo o esquema que está sendo armado na maior emissora do país e está sendo armado com outras emissoras. Porque vai rolar muito dinheiro com a volta do Lula para esses meios de comunicação. Um abraço"



O juiz Sérgio Moro colocou mais um peixe graúdo do PT atrás das grades. Agora foi a vez do ex-líder dos governos Lula e Dilma na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza, que foi recepcionado pelo mestre de cerimônias da Lava Jato,  Newton Ishii, conhecido como o japonês da Federal.

Vacarezza, que foi preso temporariamente, nesta sexta-feira, 18, fez exame de corpo delito no Instituto Médico Legal de Curitiba, na manhã deste sábado, 19. O ex-deputado foi  alvo da Operação Abate, 44ª fase da Lava Jato. Ele é investigado por suposta propina de US$ 500 mil oriunda de contrato da Petrobrás.

Após o exame, ele voltou à carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, onde segue preso. O mandado de prisão temporária prevê que ele fique encarcerado por até cinco dias. A tendência é a de que o juiz Sérgio Moro converta o pedido de prisão temporária para preventiva, quando não há data estipulada para a soltura do preso.

Vacarezza foi detido junto com o operador financeiro Henry Hoyer de Carvalho e o ex-gerente da Petrobras Márcio Albuquerque Aché Cordeir também passaram por exames neste sábado, 19, no IML, e retornaram à carceragem.

A prisão de Vaccareza coloca em cheque o acordo de delação do ex-diretor de Abastecimento da companhia Paulo Roberto Costa, que teria poupado o ex-líder do PT na Câmara em sua delação.

Segundo a Lava Jato, US$ 500 mil da comissão do lobista estariam acertados para abastecer o PT e Vaccarezza teria atuado pelo partido.

Na casa do ex-parlamentar, foram apreendidos R$ 122 mil em espécie, amarrados em bolos de notas de R$ 100 e R$ 50. Vaccareza fará companhia a João Vaccari e Antonio Palocci, outros dois petistas graúdos também presos por ordem de Sérgio Moro. 



O juiz federal Sérgio Moro encurralou o ex-presidente Lula de forma brilhante no caso do sítio em Atibaia, um dos processos mais temidos pela cúpula do PT. O magistrado afirmou na decisão que colocou o petista no banco dos réus, que se o ex-presidente pagou pelas obras do sítio de Atibaia, terá facilidade em comprovar apresentando os comprovantes com as despesas. Lula é réu por corrupção e lavagem de dinheiro, pois seria o beneficiário das reformas de R$ 1,020 milhão na propriedade rural.

“Se o ex-presidente da República arcou com as despesas da reforma terá facilidade para produzir a prova documental pertinente durante o curso da ação penal, uma vez que, usualmente, transações da espécie são feitas mediante registros documentais e transferências bancárias”, observou Moro, numa anotação que pode ser vista como sarcástica, mas que é na verdade extremamente técnica.

Como outros criminosos cúmplices de Lula no esquema de corrupção e lavagem de Dinheiro já confessaram que fizeram as benfeitorias na propriedade como uma forma dissimulada de repassar propina ao petista, Moro deduz que nem Lula nem os supostos donos do sítio possuem algum comprovante dos gastos milionários feitos no sítio.

Os ex-presidente das empreiteiras Odebrecht e OAS, respectivamente Marcelo Odebrecht e Léo Pinheiro, confessaram que fizeram as obras no sítio em contrapartida por vantagens em contrato superfaturados na Petrobras obtidos com o aval de Lula. Justamente por este motivo, a defesa do petista não conseguiu anexar nenhuma prova de que Lula ou os supostos donos do sítio pagaram por algum saco de cimento.

Diante destas confissões, Moro observou que ‘não há qualquer registro de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha pago qualquer valor por essas reformas realizadas no Sítio de Atibaia’.

“Os elementos probatórios juntados pelo Ministério Público Federal e também colacionados pela Polícia Federal permitem, em cognição sumária, conclusão de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comportava-se como proprietário do Sítio de Atibaia e que pessoas e empresas envolvidas em acertos de corrupção em contratos da Petrobrás, como José Carlos Cosa Marques Bumlai, o Grupo Odebrecht e o Grupo OAS, custearam reformas na referida propriedade, tendo por propósito beneficiar o ex-presidente”, destacou o magistrado.

Em breve, Lula será condenado pela segunda vez pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.



O ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Antonio Palocci, está sendo confrontado por uma série de atos criminosos que cometeu em nome de Lula e do PT. Assim como o ex-tesoureiro João Vaccari Neto, Palocci coordenava um gigantesco esquema de corrupção dentro do partido. Os dois estão presos em Curitiba e aguardam alguma decisão de um ministro camarada do STF que os coloque em liberdade.

Mas a disposição do juiz Sérgio Moro em mantê-los encarcerados até que se comprometam a esclarecer seus crimes tem prevalecido até o momento. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não avançou nas negociações com os petistas justamente pelo fato dos dois terem um extenso histórico de crimes que envolvem os ex-presidente Lula e Dilma, além de outros membros da cúpula do PT.

Os fatos comprovados pela Polícia Federal são tão comprometedores que dificilmente os dois irão conseguir algum acordo de redução de pena sem que se mostrem realmente dispostos a colaborar com as autoridades. Isto significa implicar Lula e outros esquemas criminosos inéditos na Lava Jato, conforme adiantou o próprio Palocci em depoimento ao juiz Sérgio Moro.

O ex-ministro já sinalizou que dispõe de informações sobre esquemas de corrupção em um nível que pode abalar as estruturas do país, como o envolvimento de bancos e de emissoras de TV em esquemas criminosos durante os governos de Lula e Dilma. Palocci faz parte da elite criminosa do PT, ao lado de gente como José Dirceu, Vaccari e Guido Mantega.

Ao que tudo indica, Palocci tem realmente o poder de romper a blindagem de gente muito poderosa. O ex-ministro petista terá a partir de setembro uma nova oportunidade de costurar um um acordo de delação premiada. Só que desta vez, terá pela frente a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Segundo informações que circulam nos corredores da PGR, a nova chefe do órgão, ao contrário de seu antecessor, não tem nenhuma reserva quanto a firmar acordos que comprometam autoridades e grupos econômicos poderosos.



A equipe que coordenou a passagem do ex-presidente Lula por Salvador esta semana havia garantido que haveria uma multidão saudando o petista durante sua passagem pela cidade. O esforço do diretório do PT contou com a ajuda do governador da Bahia, Rui Costa (PT) e dos chefes de movimentos sociais locais, como MST, CUT e UNE.

Mas a experiência de Lula não foi tão fantástica como chegou a prometer um dirigente local. O petista foi alvo de vários atos de hostilidade, apesar do forte esquema de segurança mantido pela Polícia Militar. A despedida de Lula de Salvador foi ainda mais melancólica, conforme pode ser visto no vídeo abaixo:



O ex-presidente Lula, responsável direto pelo maior assalto aos cofres públicos da história do Brasil., réu em várias ações penais e condenado pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção, chamo ou Brasil de "merda" na manhã deste sábado (19), na Bahia.

"Este país tem jeito. Não nasceu para ser a merda que ele é. Este país é grande demais", disse o petista o durante discurso a um grupo de simpatizantes na cidade de Feira de Santana (BA).

"Este país não precisa viver o que está vivendo. Este país precisa de um governo que tenha credibilidade.", disse o ladrão a seus cúmplices.

O criminoso flagrado com R$ 9;6 milhões em propina em suas contas faz uma caravana pelo nordeste, possivelmente financiada com dinheiro roubado dos cofres públicos, e pretende voltar a ser presidente do país que ele chama de "merda". Talvez para roubar mais e transformar o Brasil definitivamente em uma Venezuela de seus amigos Chaves e Maduro. 



O silêncio do ex-presidente Lula, do PT e de grupos de comunicação sobre os mais de R$ 9.6 milhões confiscados pelo juiz Sérgio Moro é apenas mais uma prova de que há em curso um pacto de hipocrisia no país.

O tema virou praticamente um tabu e absolutamente todos no PT foram proibidos de tocar no assunto. Os meios de comunicação também deixaram de cumprir o seu papel de informar e não procuraram saber a origem dos milhões que Lula mantinha em suas contas e em aplicações em planos de previdência. Enquanto isso, Lula continua fazendo comícios pelo país dizendo que é pobre, criticando a elite do olho azul, mesmo aqueles que não possuem nem 100 mil reais (de dinheiro ganho com honestidade) em suas contas.

O assunto praticamente morreu na imprensa e ninguém quer mais saber de onde Lula tirou tanta grana para aplicar em um único dia, conforme revelações da própria instituição financeira:

“Considerando que o participante fez um aporte único, em 6 de junho de 2014, será contado a partir desta data o prazo de acumulação, que por sua vez definirá a alíquota de imposto de renda incidente sobre a base de cálculo”, informou o BrasilPrev, confirmando os investimentos que Lula fez em apenas um dia, no valor total superior a R$ 9 milhões.

De onde saiu toda esta grana?. Como ela foi transportada? Em malas, sacos ou caixas? Teria sido parte dos R$ 12 milhões que a Odebrecht destinou à compra de um terreno em São Paulo? Ou teria sido parte do R$ 240 milhões que Joesley Batista disse que mantinha na Suíça e que sacava em dinheiro para o petista?

O dinheiro, devidamente bloqueado pelo juiz Sérgio Moro, é a prova material de que Lula enriqueceu à custa da corrupção com empresários bilionários que se valiam do dinheiro surrupiado dos cofres públicos durante a era petista. Mas ao que tudo indica, estão todos dispostos a esquecer este assunto.



A revista ISTOÉ desta semana traz uma reportagem sobre um monstruoso esquema montado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot para blindar o ex-presidente Lula de delações incriminadoras, como as do ex-diretor da Transpetro, Sérgio Machado e a dos açougueiros da JBS/Firboi, tradicionais parceiros do PT em esquemas criminosos envolvendo dinheiro público.

Segundo a revista, Janto montou esquema paralelo à Lava Jato para inviabilizar delações que atingem Lula e companhia. A revista fala sobre as manobras petistas na PGR, nas quais Janot teria atropelado a Lava Jato de Curitiba, para favorecer o PT e prejudicar adversários do partido, em especial, o presidente Michel Temer.

A revista informa que "um dos integrantes da força-tarefa da Lava Jato sediado no Rio Grande do Sul já havia feito desabafo sobre o esquema do PT no Ministério Público a um ministro do STJ. O encontro ocorreu no saguão de embarque do aeroporto de Brasília. “Agora se sabe que a operação montada por Janot só não dominou completamente a Lava Jato porque houve uma forte resistência do pessoal de Curitiba”.

A interferência política de Janot na Lava Jato levou a Polícia Federal a desligar os procuradores do Ministério Púbico Federal em Curitiba da força-tarefa da maior investigação do Brasil. Atualmente, a Lava Jato é conduzida a partir da Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (Delecor). A iniciativa, que teve como propósito inibir a atuação político partidária de procuradores que atuavam a serviço de Janot nos ataques contra o governo Temer, partiu do delegado Igor Romário de Paula, que é o coordenador da Operação Lava Jato no Paraná, e foi acatada pelo Superintendente Regional da Polícia Federal, delegado Rosalvo Franco.

O grupo da nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, já está a par de todo o esquema montado por Janot para blindar Lula e o PT. A partir de 18 de setembro, boa parte dos acordos de delação firmados por Janot devem ser revistos. Inclusive o dos irmãos Batista, donos do Grupo JBS.

Leia a matéria completa na ISTOÉ



O prefeito de São Paulo, João Doria, havia prometido evitar mencionar o nome do ex-presidente Lula, mas acabou quebrando a promessa nessa sexta-feira, 18, durante um almoço com empresários em Fortaleza. Doria respondeu as críticas de Lula sobre sua gestão na prefeitura da capital paulista:

“Eu não queria. Tinha prometido a mim mesmo que não faria, mas vou mandar um recadinho para o ex-presidente Lula: você, além de sem vergonha, preguiçoso, corrupto e covarde, declarou hoje que o João Doria não deveria viajar, mas administrar a cidade de São Paulo. Lula, além de tudo talvez você não saiba ler. Você é inexpressivo. Na primeira avaliação (da gestão) eu fechei com 70% de aprovação, enquanto o seu prefeito Fernando Haddad fechou com 15%”, lembrou Doria.



O  ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) trava uma verdadeira queda de braço contra a Operação Lava Jato do Rio e com o juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, que mandou prender o empresário Jacob Barata Filho, o ‘Rei do Ônibus’.

Preso na Operação Ponto Final da Polícia Federal, Barata é acusado de participar do esquema criminoso de pagamento de propina pela Fetranspor a autoridades do governo do Rio. As investigações apontaram que a propina da Fetranspor destinou R$ 144,7 milhões para Cabral entre julho de 2010 e outubro de 2016, além de R$ 43,4 milhões de julho de 2010 a fevereiro de 2016 ao ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro) Rogério Onofre

A força-tarefa da Operação Lava Jato encontrou o número de telefone de Guiomar Mendes, mulher do ministro Gilmar Mendes, na agenda do celular do empresário Jacob Barata Filho. Na noite de quinta-feira, 17, Gilmar Mendes mandou soltar o empresário. No dia seguinte, o juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, mandou prender de novo. No mesmo dia, Gilmar Mendes mandou soltar o empresário pela segunda vez.

Como se trata de gente muito poderosa e com muito dinheiro, não há como ignorar os milhões que circulam em gastos com advogados. Em casos como este, a possibilidade de lucrar o equivalente a toda uma vida de trabalho é concreta. Estas organizações criminosas dominam mecanismos sofisticados de lavagem de dinheiro e remessa ilegal para o exterior. As conexões entre o ministro Gilmar Mendes, sua esposa e a máfia dos transportes no Rio são bastante extensas, conforme apurou o Ministério Público Federal. O casal inclusive apadrinhou o casamento da filha do investigado.  Neste caso, não há mal nenhum perguntar quanto Gilmar Mendes e sua esposa estão levando para blindar os criminosos das garras da Justiça.



A aposentadoria obtida pela ex-presidente Dilma em menos de 24 horas às vésperas da confirmação de seu impeachment levantou uma série de suspeitas na época e causou o afastamento de três funcionários de carreira do INSS de Brasília.

Um dos participantes da manobra foi o ex-ministro da Previdência Carlos Gabas e uma secretária pessoal da ex-presidente Dilma Rousseff, que entraram pela porta dos fundos de uma agência da Previdência na Asa Sul, em Brasília e saíram de lá com a aposentadoria de Dilma garantida.

Segundo matéria publicada na Veja nesta sexta-feira, 18, uma investigação em curso confirmou a aposentadoria irregular de Dilma naquela ocasião.

"o processo de aposentadoria da ex-presidente foi aberto no sistema e concluído sigilosamente. Graças ao lobby de Gabas e a presença da secretária, que tinha procuração para assinar a papelada em nome da petista, em poucos minutos, Dilma deixou a condição de recém-desempregada para furar a fila de milhares de brasileiros e tornar-se aposentada com o salário máximo de 5 189 reais"

Segundo a investigação, Dilma "foi favorecida pela conduta irregular de dois servidores do órgão que manipularam o sistema do INSS para conseguir aprovar seu benefício e ainda usaram influência política para conseguir furar a fila de benefícios"


Segundo o relatório final da sindicância, Carlos Gabas usou seu cargo no INSS para aprovar a aposentadoria relâmpago de Dilma: “O servidor atuou como intermediário junto à repartição pública, fora das exceções permitidas em lei, em atitude incompatível com a moralidade administrativa”.

A investigação concluiu que a papelada apresentada por Dilma ao INSS e os procedimentos adotados pela servidora no sistema do órgão, para efeitos de cálculo de tempo de serviço, não foi comprovado. Mesmo diante de tantas irregularidades, o cadastro de Dilma foi aprovado em um dia mesmo sem contar com todos os papeis necessários. “A não observância à norma legal e regulamentar nos autos presentes, foi materializada na medida em que se deixou de exigir documentação necessária para a alteração cadastral da segurada Dilma Vana Rousseff”, diz a sindicância.

A reportagem da Veja destaca ainda que, "Segundo o regulamento do INSS, ao verificar que a papelada de Dilma Rousseff estava irregular, a servidora do INSS deveria ter se recusado a proceder com o benefício. Aos constatar as falhas, Fernanda Doerl, que levou a pena de advertência por não ter atuado com “zelo”, “dedicação” e sem “observar as normas legais” no episódio, tinha a obrigação, diz a sindicância, de “alertar (Dilma) acerca das impropriedades e que o seguimento do pleito só se daria a partir da apresentação, por completo, de todo o contexto documental exigido e necessário”.


Como não há muito a ser feito para corrigir as irregularidades, a sindicância está cobrando de Dilma ao menos a devolução de 6 188 reais, simbolicamente referentes a um mês de salário que teria sido pago irregularmente pelo INSS. Dilma está recorrendo para não ter que devolver o dinheiro.

Com informações da Veja



O ex-presidente Lula voltou a culpar a ex-presidente Dilma Rousseff pela desgraça na economia do país, que causou um rombo bilionário nas contas públicas e deixou mais de 14 milhões de pessoas sem emprego.

Apesar de tentar contornar o problema, Lula foi claro ao atribuir a responsabilidade à Dilma pela tragédia que desencadeou a maior recessão da história do país a partir do ano de 2014. Durante a entrevista que concedeu ao jornalista Mario Kertész, da rádio Metrópole de Salvador, nesta quinta-feira, 18, Lula tenta misturar alhos com bugalhos, insinuando que havia alguma conexão entre os programas sociais do governo e a farra dos incentivos fiscais que Dilma concedeu a empresários, que superou a cifra de R$ 500 bilhões.

O jornalista Mario Kertész provoca o petista sobre a incompetência e responsabilidade de Dilma pela grave crise econômica que o país mergulhou durante seu segundo mandato. Mas mesmo tentando minimizar o estrago, Lula acaba cedendo e culpa Dilma pela tragédia. Nos trechos da entrevista selecionados no vídeo, Lula se auto elogia diversas vezes, exalta suas qualidades, em detrimento das qualidades de Dilma e deixa clara sua visão sobre as qualidades e defeitos de sua escolhida. Na prática, Lula diz que Dilma é uma pessoa extraordinária e bastante competente quando comandada, mas que como tomadora de decisões, é uma tragédia. Acompanhe a confissão do petista no vídeo abaixo:



O ex-presidente Lula está em campanha pelo Brasil. Condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, o petista que teve R$ 9.6 milhões e mais uma pensa de imóveis confiscados pela justiça, diz que vai ser presidente da República. Isso sem se importar com a vergonha que está impondo a milhões de brasileiros que não sabem onde enfiar a cara com tanta desfaçatez.

Mas Lula não estaria esfregando o nome da nação na lama, não fosse a falta de vergonha na cara dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que até hoje não se decidiram sobre a possibilidade de um réu ou condenado em primeira instância poder concorrer à Presidência da República. É isto mesmo. Os ministros do STF estão fingindo que a situação está normal, que não é com eles e que está tudo bem, quando na verdade não está. Todos sabem que Lula não pode andar nas ruas de cabeça erguida e que ele se locomove pelo país guarnecido por um forte esquema de segurança composto por militantes e membros dos movimentos sociais e sindicais controlados pelo PT. Há muito tempo, o petista deixou de representar os anseios do povo e seu nome se tornou sinônimo de ladrão.

Mais do que nunca, as instituições do país precisa dar um exemplo para os Brasileiros e para o mundo sobre a disposição, ou não, no que diz respeito ao combate à corrupção. A impunidade de Lula significará um estímulo a criminalidade e ao prevalecimento dos velhos esquemas de corrupção entranhados na cultura dos políticos do país. Além de todos estes malefícios para a sociedade como um todo, a população honesta ainda terá que suportar Lula e os demais petistas cúmplices do assalto aos cofres públicos que durou quase uma década e meia tirando sarro da própria sociedade. 



A Rede Globo mobilizou toda sua máquina para negar a veracidade de um áudio que circula no WhatsApp, atribuído a um profissional do jornalismo da emissora, contendo denúncias sobre a aliança do Grupo de comunicação com setores da esquerda. No áudio, o suposto funcionário da emissora é bastante convincente ao descrever os métodos adotas pela Globo e seus satélites para atacar o presidente Michel Temer, desde a vergonhosa campanha movida por setores do judiciário com a ajuda dos criminosos da JBS, tradicional anunciante da Globo.

A Globo insiste em afirmar que se trata de um áudio falso, mesmo sem ter conhecimento sobre quem seria o autor da gravação. A pessoa que divulgou o áudio parece bastante familiarizada com o departamento de jornalismo da emissora e fala com bastante propriedade no assunto, o que indica de fato se tratar de um funcionário da casa. Vale à pena ouvir o relato e tirar suas próprias conclusões sobre a veracidade ou não dos fatos narrados. Quem acompanha a programação da Globo, poderá constatar que há sim muitas verdades nas denúncias, independente de tratar-se ou não de um funcionário da emissora.

A manobra de tentar atribuir a gravação a A ou B pode ser apenas uma estratégia para desqualificar um registro que pode sim, ser verdadeiro. Embora o áudio tenha sido divulgado de forma anônima, isto não significa que não seja autêntico e que não tenha sido gravado por alguém de dentro da emissora.

Ouça a gravação no arquivo abaixo:





A transcrição do áudio:

"Terça-feira, 8 de agosto de 2017. Por questões óbvias não vou me identificar porque há uma caça a bruxa dentro do jornalismo da Globo procurando quem é mais alinhado com a esquerda e quem não é. A partir de agora o público poderá notar que as editorias de jornais vinculados à rádio CBN, ao G1 e também aos programas jornalísticos da Rede Globo vão estar mais alinhados com a esquerda e preparando a volta do Lula, que está completamente alinhado com a família Marinho, apesar de ele falar aos berros que vai fazer aos berros isso e aquilo está tudo orquestrado com a editoria do jornalismo da rede Globo.

Ali Kamel, Silva Faria, Boni, Mariano, Miguel Taís, Cristina Persentini que são os diretores das duas grandes praças jornalísticas da Globo estão alinhados com a família Marinho para que toda a notícia vinculada a Temer e também ao João Dória em São Paulo, sejam fracionadas durante o jornalismo para que se fale o tempo todo dos dois de forma até caluniosa. Um exemplo: os empregados da Dilma agora são desempregados do Temer. A culpa da dívida do Brasil não é do legado de Lula e Dilma. É culpa do Temer. Até os salários atrasados do Rio de Janeiro é culpa do Temer. Bem como uma rua esburacada há mais de 50 anos é culpa do João Dória.

Há uma tendência já acertada com a esquerda para que se fale de forma até caluniosa de Temer e de João Dória nos jornais e no jornalismo da Globo e nas programações de rádio. A ideia é que seja estendida ao máximo a notícia para que se fale coisas ruins destas duas grandes personalidades, que seriam os grandes adversários da propensa volta do Lula ao poder.


Outra coisa também é que vamos ver uma Globo será avermelhada. Vocês vão começar a ver o tom mais vermelho do que a cores tradicionais da TV Globo. Isso já foi utilizado como propaganda subliminar na época da época da retomada da democracia que não se sabia o que iria acontecer com o país, a Globo não sabia dos artificíos para fazer propaganda subliminar.

E assim também é com as propagandas fracionadas no jornalismo. Você fala muito o tempo todo durante o jornalismo, na apresentação dos jornais, sobre as mesmas coisas e vinculando o nome de João Dória e Temer. Vocês também vão ver muitas notícias sobre o Judiciário. Vão ter muitas notícias sobre juízes corruptos, membros do Ministério Público, da corrução. O que também acontece, mas vocês vão ver muito mais notícias sobre isso. Mas vocês vão ver muitas notícias antigas, velhas e arquivadas que o povo não lembra vão ser trazidas de volta paraseja jogado MPF e PF um contra o outro e que seja feita a exposição de juízes de primeira instância. Isso tudo para atingir O Moro e a Lava-Jato, acreditem a Globo é contra o juiz Moro e a Lava-Jato. Fiquem atentos e que nós sejamos espertos quanto ao imperialismo da rede Globo. Não estou sendo contra a casa, mas eu não acho isso direito e acho legal a população saber. Principalmente, uma pessoa que está dentro do sistema Globo e que tá acompanhando de perto todo o esquema que está sendo armado na maior emissora do país e está sendo armado com outras emissoras. Porque vai rolar muito dinheiro com a volta do Lula para esses meios de comunicação. Um abraço"

Todas as notícias

Siga no Facebook

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget